FANDOM


ALERTA DE SPOILER: Detalhes do enredo a seguir. Aconselhamos atenção!
A vida é um livro, e há milhares de páginas que ainda não li. Gostaria de lê-las com você, tantas quanto conseguir, antes de morrer—

–Will para Tessa Gray, Princesa Mecânica

William "Will" Herondale era um dos caçadores que viviam no Instituto de Londres, cuja vida se misturou com a da recém-chegada Tessa Gray. Will se tornou o chefe do Instituto.

Biografia

Vida pregressa

Will era o filho de Edmund Herondale, uma vez Caçador de Sombras, e Linette Owens, a mundana por quem Edmund deixou sua vida de Caçador de Sombras. Como determinado pela Lei, Will e suas irmãs, Ella e Cecily, sendo Nephilim, ainda eram bem-vindos a se tornarem Caçadores de Sombras.

Portanto, Will foi perguntado duas vezes em doze anos, e recusou em ambas, por ter sido criado para acreditar que Caçadores de Sombras eram más pessoas e que suas vidas eram perigosas e monstruosas.No entanto, pouco depois da segunda vez que foi perguntado, quando ele tinha doze anos, Will estava mexendo nas coisas velhas de seu pai e achou a Pyxis que guardava o Demônio Maior Marbas e abriu-a, sem querer libertando o demônio. O demônio atacou-o, e Will foi protegido por sua irmã mais velha Ella, que subsequentemente envenenada pelo demônio. Antes de ir embora, Marbas declarou ter amaldiçoado Will, dizendo-o que aqueles que ele ama morreriam. Quando Ella morreu na manhã seguinte, Will ficou destruído com culpa e tristeza, acreditando ser responsável. Ele decidiu imediatamente que iria embora e se juntaria aos Caçadores de Sombras no Instituto de Londres para manter sua família a salvo.[5]

Mesmo em Londres, Will era assombrado pela maldição do demônio. Ele permaneceu distante dos outros habitantes do Instituto, Charlotte e Henry, não querendo fazer-lhes mal por se apegar a eles a aprender a amá-los. Ele fez isso até mesmo com convidados do Instituto. Quando ele tinha doze anos, uma festa de Natal da Enclave foi feita no Instituto. Lá ele encontrou o diário de Tatiana Lightwood, uma jovem Caçadora de Sombras que estava muito apaixonada por Will. Will humilhou Tatiana lendo a poesia que ela havia feio para ele na festa, ganhando o ódio de se irmão, Gabriel. Gabriel atacou-o por isso, e apesar de sua flata de treino, Will ganhou dele na luta e até quebrou seu braço, humilhando-o mais ainda. Isso instigou o começo de uma longa rivalidade e desentendimento entre os dois.

Quando Jem Carstairs chegou de Xangai em 1873, Will tentou ser rude com ele para imediatamente dissuadi-lo de tentar se tornar amigo dele. No entanto, Jem recusou-se a ser intimido por Will e insistiu em treinar com ele. Quando Will descobriu que Jem estava doente, ele alegrou-se e se permitiu a se tornar próximo de Jem, porque já que ele já estava morrendo, a maldição não funcionaria com ele. Quando eles tinham treze anos, Will perguntou se Jem seria seu parabatai, e aos quatorze eles participaram da cerimônia e tornaram-se parabatai.[5]

Tessa e o Magistrado

Depois que uma patrulha de rotina levou Will e Jem para Emma Bayliss em 1878, eles já estavam na trilha do Clube Pandemônio, os suspeitos de orquestrar seu assassinato. Suas investigações os levaram às Irmãs Sombrias. Na noite em que eles deveriam pegar as irmãs por suas atividades ilegais, Will encontrou uma feiticeira chamada Tessa Gray presa em sua casa. Eles a levaram de volta ao Instituto para se recuperar.

Will desenvolveu uma atração por Tessa e os dois se uniram por causa de seu amor por livros. Will teve que se lembrar constantemente de manter distância devido a sua maldição.

Suas investigações os levaram a Axel Mortmain, que contou a eles sobre o lider do Pandemônio, o Magistrado, que aparentemente era um apelido que o vampiro Alexei de Quincey utilizava. Em uma missão de reconhecimento no baile de submundanos de De Quincey, Will acompanhou Tessa, que havia se Transformado na vampira Camille Belcourt, e fingiu ser seu subjugado humano. Quando viu o que pretendiam ver, que eram as violações de De Quincey contra Os Acordos, ele tentou alertar os outros Caçadores de Sombras com um dos inventos ainda em teste de Henry, mas em vez disso ateou fogo nas cortinas, criando o caos; apesar de alertar os Caçadores de Sombras, também causou pânico entre os participantes. Na comoção, Will foi atrás de De Quincey. Ele mordeu o vampiro em sua tentativa de segurá-lo, mas De Quincey conseguiu escapar.

Por causa do sangue de vampiro que ele havia ingerido, Will foi submetido a um remédio para impedi-lo de se tornar um Subjulgado; ele foi forçado a beber água benta para ajudar a dissipar o sangue de vampiro em seu sistema, seja pelo simples efeito neutralizante da água benta ou fazendo-o vomitar os vestígios de sangue nele. Quando ele começou a recusar violentamente a ajuda de Sophie, Tessa a substituiu e trouxe a água benta. Após uma breve conversa sobre o que pensavam um do outro, eles se beijaram apaixonadamente antes de Will recuperar seus sentidos e se afastar, colocando suas barreiras contra o amor novamente. [6]

Mortmain foi ao Instituto na noite do ataque dos membros adultos da Clave ao esconderijo de De Quincey, advertindo-os de que as Irmãs Sombrias estavam planejando acordar o exército de Autômatos do Magistrado. Will e Jem correram para impedi-los, enganados para deixar o Instituto desprotegido. Quando chegaram ao local que Mortmain relatou, eles só acharam a Sra. Dark conduzindo um ritual necromântico para trazer sua irmã de volta à vida. Percebendo o engano, eles correram de volta ao Instituto.

Will encontrou Tessa no chão, com Mortmain ao lado dela, que estava surpreendentemente chateado. Mortmain fugiu depois de ser confrontado por Will. Will correu para ela, triste com a morte dela. Ele embalou a cabeça dela em seu colo, mas então percebeu que ela estava respirando. Tessa abriu os olhos e disse a Will que enganou Mortmain fazendo-o acreditar que ela havia se esfaqueado. Will, no entanto, ficou perturbado ao acreditar que havia perdido tudo.

Depois que as coisas se acalmaram, Will, com medo de já ter ameaçado Tessa por causa de sua maldição, disse a ela que eles poderiam ter uma relação sexual e sem compromisso para deixá-la acreditar que ele não se importava com ela. Ele a machucou degradando-a como uma mera Submundana e revelou a ela o fato de que os feiticeiros são estéreis.

Quebrando a maldição

Em uma missão para Magnus Bane, Will visitou um cemitério e deu à "Velha Molly", um fantasma, alguns anéis como pagamento por ingredientes para um dos feitiços de Magnus. Ele perguntou a ela ofereceria o contrário de uma poção do amor, mas ela sugeriu que ele agisse grosseiramente e assustar a garota. Quando estava indo embora, ele murmurou que era para ele, não para a tal garota. Tessa acompanhou Will e Jem até o Instituto de York para encontrar Aloysius Starkweather, que poderia ter uma pista sobre o passado do Magistério. Jem deu-lhe o anel da família Carstairs para ele fingir que era uma mundana noiva dele.

Mais tarde, Sophie trouxe a Tessa um convite para um baile de máscaras na casa dos Lightwood, dirigido a Jessamine de Nate Gray. Jessamine deu um tapa em Sophie quando viu-a com o convite, e Sophie e bateu-a e a deixou inconsciente com um espelho. Tessa disse para Sophie pedir ajuda a Will, e ele colocou uma runa do sono em Jessamine para ela não acordar até de manhã, e amarrou-a em sua cama por precaução. Tessa se transformou em Jessamine, e Will acompanhou-a, para que ela pudesse entrar escondida no baile na casa de Benedict Lightwood.

Na sacada da casa de Benedict Lightwood, Tessa e Will tiveram um momento íntimo, que foi interrompido por Magnus Bane. Foi ele que ajudou-os a voltar para fora da casa.

Ele percebeu que Tessa gostava dele, e percebeu que ele também a amava. Por causa disso, ele foi até Magnus Bane, para convocar o demônio que havia amaldiçoado-o. Magnus convocou o demônio, Marbas, para libertar Will de sua maldição. No entanto, Marbas contou-lhes que nunca houvera uma maldição, e jurou-o. Ele contou a Will que Ella havia morrido por causa de seu ferimento do ataque. Will estava muito perturbado, mas correu até o Instituto, pulando de felicidade, e contou a Tessa que amava-a. Sua felicidade foi curta, assim que Tessa contou-lhe que estava noiva de Jem. Will, de coração partido, disse-lhe que ela não deveria dizer nada sobre seus sentimentos a Jem; e fingiu que estava feliz pelo noivado com Jem.

Salvando Jem e Tessa

Will treinou sua irmã, Cecily, para se tornar uma Caçadora de Sombras. Ele estava irritado com sua presença no Instituto e com sua insistência para ele vir com ela, mas ele se importava com ela e era ferozmente protetor. Will descobriu que Jem estava inalando doses grandes de yin fen para mantê-lo em forma e capaz, enquanto matando-o por dentro. Will viajou para comprar mais do pó demoníaco, co Celily seguindo, mas logo descobriu que alguém havia comprado tudo.

Quando Jessamine Lovelace foi trazida de volta ao Instituto de Londres da Cidade do Silêncio, os autômatos atacaram. Will não tinha o desejo de vê-la, mas ouvindo o barulho de dentro, correu para baixo para ajudar. Ele viu Jem correr atrás de uma carruagem de autômatos, mas não percebeu que Tessa havia sido raptada. Jessamine contou-lhe que Mortmain estava em "Idris", antes de morrer de uma apunhalada nas costas. Jem retornou ,porque a carruagem era rápida demais, e desmaiou.

Cecily escutou Will conversando com Jessamine e descobriu que Mortmain estava escondido em Cadair Idris, uma montanha perto de onde eles viviam em Gales, conhecendo Mortmain e sua personalidade.

Will pediu para Magnus Bane ajudá-los a encontrar uma cura para Jem, que estava morrendo e sem yin fen. Magnus perguntou a Will se Jem sabia que ele estava apaixonado por Tessa, mas ele disse a Magnus que não queria ferir Jem. Mas Jem escutou-os e deu a Will sua benção para resgatar Tessa, ao invés dele estando doente demais.

Na estrada para Gales, Will sentiu sua runa parabatai sangrar, e percebeu que Jem havia morrido. Ele vomitou e pediu um conselho a Woolsey Scott, mesmo tendo se metido em uma briga com alguns lobisomens de seu bando. Will cortou sua mão com a adaga de Jem e enterrou-a perto de uma árvore.

Ele encontrou Tessa no esconderijo de Mortmain, eventualmente, e correu até ela sem pensar, o que deixou-o preso dentro da barreira invisível com Tessa. Acreditando que Jem estava morto e pensanso que os dois morreriam, Will confessou udo a Tessa e disse-lhe o quanto a amava, o que levou-os ao sexo naquela noite.

Na manhã seguinte, Tessa acordou e percebeu que seu anjo mecânico estava no ombro de Will, perto de seu pescoço. Ela pegou-o e viu que ele havia deixado uma marca com a forma de uma estrela branca em Will, criando a marca dos Herondale que é vista nos seus descendentes das gerações futuras. Magnus Bane encontrou-os e os soltou, trazendo-os aos outros, onde uma batalha contra centenas de autômatos estava acontecendo, e os Caçadores de Sombras estavam perdendo. Will se juntou a batalha e, no meio dela, descobriu que um dos Irmãos do Silêncio, Irmão Zachariah, era na verdade Jem.

Tessa foi então capturada por Mortmain, ameaçando Will e os outros Caçadores de Sombras com ela. Tessa se Transformou no anjo preso dentro de seu colar, Ithuriel, impressionando Will enquanto ele via ela brilhar com fogo. Ela matou Mortmain, mas se Transformou em si mesma de novo e caiu no chão inconsciente, deixando Will muito preocupado.

Eles haviam ganhado a batalha, mas depois de voltar ao Instituto com os outros, Will entrou em um estado de depressão porque estava preocupado por Tessa não recuperar sua consciência, e se sentindo perdido sem Jem. Para sua alegria, Tessa se recuperou e permitiram que ele conversasse com Jem, o que o fez se sentir triste por semanas, faz ele começou gradualmente a se ajustar a uma vida sem Jem.

Will e Tessa ficaram mais próximos e, naquele ano durante a festa de Natal da Enclave, ele finalmente pediu-a em casamento, e Tessa disse sim. Eles planejaram em se casar depois de Will fazer 18 anos, e ele usou o Portal de Henry para voltar a Gales com Cecily, Tessa e Gabriel para visitar seus pais depois de tanto tempo. Will e Cecily tiveram uma reunião feliz com seus pais, e Will anunciou que Tessa era sua noiva. Ele teve um tempo maravilhoso visitando seus pais depois de cinco anos.

Vida tardia

Eventualmente Will se tornou líder do Instituto, uma posição dada a ele quando Charlotte virou a Consuela. Ele e Tessa se casaram e tiveram, inesperadamente, dois filhos: James e Lucie Herondale.

Por causa de como outros Nephilim viam Tessa por sua herança, ele e sua família raramente passavam tempo em Idris, [7] exceto durante os verões.[8]

Depois que Will se aposentou, ele escreveu várias estórias de Caçadores de Sombras, que se tornaram muito bem respeitadas. Em 1937, Will, com 76 anos, morreu de velhice. Em seu leito de morte, ele foi visitado por seus amigos e família, e, finalmente, Jem, como Irmão Zachriah, que veio e tocou o violino para ele. Jem deu-lhe a despedida dos Caçadores de Sombras, e então Will morreu rodeado pelas duas pessoas que mais amou em sua vida: Tessa e Jem.

Personalidade

Will é um homem carinhoso e afetuoso que arriscaria sua vida e felicidade por as pessoas que ele ama. Ele é excessivamente dramático.

Em sua juventude, quando o instinto de Will era de empurrar as pessoas para longe, Will manteve seus bons traços escondidos atrás da arrogância e do sarcasmo. Para aqueles que não o conheciam, ele parecia rude, infantil e egoísta, com sua inteligência rápida e sarcasmo.

Will lê extensivamente e tem uma memória perfeita. Ele pode achar uma citação para quase toda situação e muitas vezes faz sua própria poesia (muito ruim, embora às vezes propositalmente).

Descrição física

Will é descrito tendo olhos violeta-azul profundos e cabelo preto que cai em seus olhos. Ele tem traços elegantes: maçãs do rosto altas, cílios longos e espessos, lábios cheios, garganta elegante, e é frequentemente descrito pela maioria das pessoas como extremamente lindo. Dizem que ele se parece muito com sua mãe. Ele é musculoso, com ombros largos e mãos calejadas dos seus anos de treinamento de Caçador de Sombras. Ele também é bem alto, com quase 1,80m.

A runa parabatai de Will está em seu peito, sobre seu coração. [3] Quando ele era casado, uma de suas runas de casamento teria sido colocada em seu peito, conforme a tradição, e teria terminado ao lado de sua runa parabatai desbotada.

Competências e habilidades

  • Fisiologia Nephilim: Sendo Nephilim, Will possui uma variedade de habilidades físicas e mentais melhoradas, concedidas a ele pelo sangue de Raziel em suas veias, e também pelas Marcas angelicais do Livro Gray. Ele também tem o poder de realizar tarefas únicas de sua espécie, como a habilidade de usar e chamar o poder dos anjos para suas lâminas serafim. Isso inclui força, agilidade, resistência e coordenação melhorados, o que só se aperfeiçoa com tempo e treino.
  • Magia Rúnica: devido ao sangue de anjo em suas veias, todos os Caçadores de Sombras podem por runas em sua pele sem nenhum risco real. Essas Marcas dão efeitos variados que servem para beneficiar que as usa.
  • Boa pontaria: Will é particularmente adepto do arremesso de facas, uma habilidade aperfeiçoada com a ajuda de seu parabatai, Jem.

Anteriormente:

  • Vínculo Parabatai:Devido ao seu antigo vínculo parabatai com Jem Carstairs, Will foi capaz de chamar mais força na batalha. As runas desenhadas sobre ele por Jem também deram um efeito consideravelmente mais forte.

Posses

  • Estela: Will usa uma estela para desenhar runas em sua pele para cura, força, etc.
  • Adagas e facas de arremesso
  • Lâminas serafim
  • Foice

Relacionamentos

Tessa Gray

Eu senti que eu estava sonhando e pensando e sentindo com você. Sonhei o que você sonhava, queria o que você queria, e então eu percebi que realmente eu só queria que você. A menina por de trás das letras rabiscadas. Eu te amei do momento que as li. Eu ainda te amo.

–Will para Tessa, Príncipe Mecânico

Will inicialmente tratou Tessa como ele fazia com todos que não eram Jem: rudemente, estabelecendo imediatamente uma distância entre eles por causa da maldição que ele achava que tinha. Will inevitavelmente gostava de Tessa, especialmente depois de ler as cartas que ela escreveu para seu irmão Nate, onde Will sentia conhecer a persona de Tessa antes mesmo de passar um tempo com ela. O par ficou um pouco mais próximo por causa da persistência de Tessa em ajudá-lo e conhecê-lo, e embora Will tentasse lutar por causa da maldição que ele tinha, ele percebeu que tinha desenvolvido sentimentos por Tessa. Pela primeira vez em muito tempo, Will queria estar perto de alguém o suficiente para procurar uma maneira de quebrar sua maldição.

Quando ele ainda estava incerto sobre o que poderia ser feito sobre sua maldição, Will continuou a empurrar Tessa para longe, indo ao ponto de ofendê-la propositalmente para fazê-la diminuir seus sentimentos por ele. No entanto, quando ele percebeu que ele nunca foi amaldiçoado, Will imediatamente disse a Tessa e confessou seu amor por ela, apenas para descobrir que ela tinha acabado de ficar noiva de Jem. Will decidiu deixar de lado seus próprios sentimentos, querendo que as duas pessoas que ele amava fossem felizes.

Quando Will pensou que Jem havia morrido, e quando eles pensaram que eles estavam prestes a morrer em breve, Will e Tessa dormiram juntos. Quando eles sobreviveram à provação, Will e Tessa tornaram-se parte da recuperação um do outro, apoiando-se mutuamente à luz de sua perda de Jem. Will fez uma tentativa de cortejar Tessa apropriadamente e deu a ela o livro Um Conto de Duas Cidades no qual ele escreveu uma carta para ela. Will estava com medo de que Tessa não o amaria do jeito que ela amava Jem, mas, instigada por Jessamine, ele eventualmente propôs a ela. O casal acabou se casando e, embora isso fosse possível, foi uma surpresa para eles, tiveram dois filhos, Lucie e James.

Jem Cartairs

Jem é meu maior pecado

–Will, Príncipe Mecânico

Quando Jem chega no Instituto, ele e Will se tornam amigos imediatamente depois de ele mostrar que não se sente intimidado pela atitude mal-humorada de Will. Ele passa muito tempo no quarto de Jem, assegurando que ele não morreria de seu vício em yin fen. Will não conta-lhe sobre a maldição que tem desde os doze anos, mas tem uma amizade bem próxima com ele, como irmãos. Quando eles tinham treze anos, Will pede para Jem ser seu parabatai. Jem recusou, mas quando Will coloca uma aposta em uma luta de espadas, Jem aceita.

Antes de Tessa, Jem era a única pessoa com quem Will se importava de verdade e mostrava afeto. Ele pensava que sua maldição não o afetaria, porque ele já estava morrendo. Com cada dia que passava e Jem vivia, a teoria de Will se solidificava. Will cuida de Jem quando ele está fraco e compra yin fen para ele do ifrite em Whitechapel, porque Jem não consegue.

Quando ele descobre que Jem amava Tessa e está noivo dela, ele sacrifica seu amor por ela e finge estar feliz. Ele até faz um brinde a eles quando Jem anuncia, no jantar, que estão noivos.

Charlotte Branwell

Charlotte sempre tratou Will com amor e cuidado quase maternais. Por causa de sua maldição, Will manteve uma aparência de indiferença para com ela, como ele fez com todos os outros. Mas Will de fato se importava com ela, escolhendo manter distância para protegê-la antes que ele descobrisse a verdade sobre sua maldição falsa.

Aparições

Galeria

Veja mais aqui

Curiosidades

  • Em esboços prévios, "Will estava bravo o tempo todo" e tinha um melhor amigo diferente no lugar de Jem,[10] mas o personagem foi cortado da versão final do livro.[11]

Você não sabe nada sobre o amor, sabe? Eles estiveram tão sozinhos, por tanto tempo. Isso me dá paz.

–Will para Jessamine, Cidade do Fogo Celestial

Depois de mais de um século, Jem e Tessa finalmente se reuniram. Em 2009, o casal finalmente se casou e amarrou o nó na Ponte Blackfriars. Por um momento, Will voltou como um fantasma para testemunhar a breve cerimônia-apesar de também ser possível que ele fosse meramente uma fantasia da imaginação de Tessa e Jem juntos.[12][13][14] Ele se juntou a Jessamine, que também assistiu o casamento de longe, e conversou com ela. Eles discutiram a mistura estranha de convidados, que consistia de Magnus Bane e os descendentes de pessoas que eles conheciam. Will também declarou que o pensamento de ver Jem e Tessa felizes e juntos lhe dava imenso prazer e alegria. Pouco depois, Tessa e Jem, sentindo sua presença, se aproximaram e lhe deram adeus antes de ele ir embora.

Referências