FANDOM


Outra versão
ALERTA DE SPOILER: Detalhes do enredo a seguir. Aconselhamos atenção!
você foi tola por confiar nela, irmãzinha. Ela gosta de estar no lado vencedor das coisas, a Rainha Seelie.

Sebastian Morgenstern sobre a Rainha, Cidade das Almas Perdidas

A Rainha da Corte Seelie, também simplesmente referida como Rainha Seelie , é a rainha das fadas da Corte Seelie.

Biografia

Lados

A Rainha, através de seu caveleiro pessoal Meliorn, requisita uma audiência com os Caçadores de Sombras do Instituto de Nova York para discutir sobre como impedir a guerra com Valentim Morgenstern. Meliorn utiliza de sua conexão com Isabelle Lightwood para passar a mensagem através dela. Depois de sua chegada, com o mundano Simon Lewis, a diz ao grupo que ela decidiria que lado ela tomaria.

Vendo que os aparentemente irmãos Jace e Clary estavam apaixonados, a Rainha manipula Clary a ingerir comida da Corte, assim amarrando ela a Corte ate que ela decidisse deixa-los ir. A Rainha disse a ela que ela a libertaria se ela beijasse “aquele que ela mais desejava”, sabendo que era Jace.[1]

Favor

Evidentemente, ela decide ficar do lado dos Nephilim quando as fadas tomaram parte da Guerra Mortal. Algum tempo depois, ela apareceu para Clary e lhe pediu um favor, um que ela ficaria devendo e retornaria se ela precisasse no futuro. Ela pediu a Clary para sugerir que Luke fizesse de Meliorn o representante das fadas no Conselho. Clary recusa, não querendo arriscar ser trapaceada e insistiu que já tinha tudo que queria.[2]

Apesar de recusa de Clary por ajuda, Meliorn ainda foi designado a um assento do Conselho, e a Rainha mais uma vez ofereceu uma troca de favores com Clary. Através de Kaelie, a Rainha organizou para que Clary recebesse um sino que ela poderia simplesmente balançar caso a necessidade de um favor surgisse. Clary relutantemente aceitou o “presente”, apesar de estar determinada a nunca utilizá-lo.[3]

Guerra Maligna

Depois do desaparecimento de Jace, Clary ficou desesparada o bastante, como a Rainha previu, para ir até ela e tocar o sino. Ela ofereceu ajudar Clary e seus amigos a acharem Jace se Clary recuperasse um par de anéis de fada, que ela alegou ter pertencido a seu pai, do Instituto de Nova York. Clary concordou em fazer isso, mas decidiu mantê-los para usar em sua própria cruzada para salvar Jace, exatamente como a Rainha esperava.

Clary foi se juntar a Jace e Sebastian Morgenstern como espiã. Enquanto Clary e Simon, o portador de um dos anéis roubados, utilizavam os anéis para se comunicarem, a Rainha escutava seus planos através de sua própria conexão com os mesmos. Mais tarde, ela enviou Meliorn para se encontrar com Sebastian em Praga para dizer que iriam lutar com ele. A Rainha e Sebastian, então, começaram a se comunicar através do anel de Clary.[4]

A Rainha, sempre procurando por uma oportunidade, decide formar uma aliança com Sebastian Morgenstern, com quem ela mantém uma relação sexual, e fornece a ele informações e favores necessários. Durante o Cerco da Guerra Maligna na Citadela Adamant, ele forneceria a Sebastian um meio pelo qual esconder secretamente a maior parte de sua força de Crepusculares e ele mesmo, bem como um meio pelo qual recuar.

Mais tarde, quando Jace, Clary, Isabelle, Alec e Simon secretamente se Transportam para Faerie para encontrar um caminho até o reino demoníaco que Sebastian está sediado, eles finalmente descobrem a partir de uma conversa entre a Rainha e o líder da Caçada Selvagem, Gwyn ap Nudd, que ela estava aliada com Sebastian. Meliorn alertou-a para a presença do grupo escondido, ela perdeu sua compostura e, em um caso raro, mostrou surpresa e raiva genuína, e mais uma vez quando Alec matou Meliorn.

No entanto, a Rainha concorda em escoltar o grupo para o caminho que os levaria a Edom, sabendo que levá-los a Sebastian os levaria a suas mortes. A pedido de Jace, ela prometeu que nem ela nem nenhum em sua corte, por palavra ou ação, revelariam que o grupo chegou a Faerie. Após a partida, ela usou o espelho feérico encantado para entrar em contato com Sebastian e informou-o de que o grupo partiu e está a caminho, e como fadas não podem sobreviver em Edom, ele deveria se vingar por ambos.

Após a morte de Sebastian e seu exército, as fadas foram deixadas em uma posição tênue e foram processadas por seu envolvimento com Sebastian. Sua serva, Kaelie Whitewillow, chegou à reunião do Conselho como a nova representante das Fadas. Em nome da Corte Seelie, ela foi forçada a concordar com um tratado de paz humilhante e incapacitante para as fadas, com o único advogado contra os termos injustos sendo o representante dos feiticeiros, Magnus Bane.[5]

Algum tempo depois, a Rainha aparentemente desapareceu,[6][7] permanecendo isolada em sua Corte por anos.[8]

Paz Fria

Em 2012, a Rainha finalmente mostrou-se aos Caçadores de Sombras que passaram a noite em sua Corte depois de fugir da Corte Unseelie com o filho do Rei, prisioneiro e candidato a execução, Kieran. Ela procurou primeiramente Julian Blackthorn, que poderia ser o mais difícil de convencer sem ela planejar. Desejando recuperar o Volume Negro dos Mortos, ela convenceu Julian de aceitar o acordo, mostrando-lhe, através de seu cristal da vidência, o que estava acontecendo fora das terras de Faerie; seu tio Arthur Blackthorn enfrentou Malcolm Fade e Julian viu o feiticeiro matar Arthur e ressuscitar com sucesso Annabel Blackthorn, apenas para ser morto por ela. A rainha explicou suas razões para mostrar isso a ele, e surpreendeu-o e o convenceu ainda mais revelando que ela sabia de seus sentimentos por Emma Carstairs e também sabia de uma maneira de quebrar o vínculo parabatai.

No dia seguinte, a rainha falou com o resto dos Caçadores de Sombras e ofereceu-lhes um acordo; em troca de encontrar e recuperar o Volume Negro para que ela pudesse resgatar um membro roubado de sua Corte do Rei Unseelie, ela prometeu ajuda à Clave para ajudá-los a vencê-lo. Como a Clave não recusaria sua ajuda, isso resultaria no término da Paz Fria, e a volta de Helen Blackthorn do exílio. Ela então nomeou Kieran como seu enviado para convencer a Clave, e sugeriu Adaon como o futuro Rei da Corte Unseelie quando derrotarem e destronarem o atual Rei. Impulsionados pelos resultados potenciais que ela havia criado, eles concordaram, e a rainha levou-os a um grupo de corcéis feéricos esperando para levá-los para casa.

Quando os Caçadores das Sombras estavam partindo, a Rainha fez uma observação sobre Mark e Kieran para Emma, que se virou para ela e declarou que não era digna de confiança. Surpreendida pelas observações de Emma, a rainha deixou sua raiva e crueldade se mostrarem e retrucou sobre o desejo de Emma de proteger os Blackthorn da maneira que ela não conseguiu salvar seus pais. Emma calmamente confirmou sua declaração, não insultada, e deixou a presença da Rainha.[8]

Personalidade

Sendo uma fada, a exibe a natureza manipuladora de sua pessoa muito bem, desde que as fadas não conseguem mentir, elas trançam palavras juntas sem dar a verdade inteira, levando outros a ceder a suas exigências. Ela é o tipo de mulher que manipula as pessoas das sombras e, enquanto muitos, incluindo Nephilim e alguns Seres do Submundo, a vêem como uma vilã, ela faz o que ela pensa que é certo para o seu povo.

Ela não vê razão para gostar de coisas ou pessoas – ela conhece o valor tanto de amar como de odiar, mas simplesmente gostar não serve para a rainha.[2] Suas interações com Jace e Clary, Julian e Emma, mostram que lhe dá um pouco de prazer em mexer com pessoas que estão apaixonadas, jogando truques sobre eles para outros fins além de mostrar-lhes o alcance de seu poder e conhecimento.

Descrição Física

É dito que a Rainha é uma mulher adorável e esguia, com longos cabelos escarlate e olhos claros e azuis. Ela tem orelhas ligeiramente pontudas como a maioria das fadas.

Por volta de 2012, a rainha estava magra ao ponto de parecer esquelética, embora ela ainda seja linda e usa um intrincado diadema de ouro como uma coroa.[8]

Relacionamentos

  • Sebastian Morgenstern: A manteve uma aliança e uma relação sexual com Sebastian Morgerstern, durante a Guerra Maligna. Ela observa que ele é seu primeiro amante mortal em eras— e o primeiro em um longo período a fazê-la sorrir— chamando-o de Sebastian por respeito, considerando que muitas Fadas não são chamadas por seu “nome verdadeiro”. Ela estimava seu relacionamento de amantes, apesar de ambos manterem uma adaga nas costas um do outro, preparados para apunhalar e trair se necessário.
  • Meliorn: A foi uma dos poucos verdadeiros aliados de Meliorn. Apesar do fato de que ele era metade humano, a se afeiçoou a ele e o fez saber que ele era bem-vindo em sua corte, que ele nunca teria tido sem ela. Ela o tratou como uma fada completa — melhor, talvez — e rapidamente punia qualquer um que o tratasse mal. A é conhecida por ser cruel, mas este foi um caso em que ela mostrou algo próximo a bondade e Meliorn a reembolsou com sua lealdade eterna.[9]

Galeria

Aparições

Referências


Esta página utiliza conteúdo de uma página da The Shadowhunters Wiki.
A lista de autores pode ser vista no histórico da página.