FANDOM


Outras versões
Vamos ver o que as cartas tem a dizer.

–Madame Dorothea, Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos

Madame Dorothea era uma bruxa e a vizinha de Jocelyn e Clary Fray.

Biografia

Dorothea tinha uma loja psíquica no apartamento dela. Em certo momento, Dorothea tornou-se vizinha das Fray, embora fosse distante e evitasse o contato com elas. Jocelyn era uma pintora, e ela fez um conjunto de cartas de tarô para Dorothea como um presente, secretamente escondendo o verdadeiro Cálice Mortal dentro da Az de Copas.

Quando os homens de Valentim chegaram ao local para pegar Jocelyn e o Cálice, Dorothea permaneceu em seu apartamento, cuidando de seus próprios negócios, como de costume. Quando Clary mais tarde veio a ela perguntando sobre sua mãe, junto com o Caçador de Sombras Jace que imediatamente a reconheceu como uma bruxa, Dorothea fingiu ignorância, mas quando Clary continuou a importuná-la por informações, Dorothea a deixou entrar para uma "leitura". Clary pegou a carta de tarô do Cálice de seu baralho, o que deixou Jace chocado. Dorothea então disse a Clary que Jocelyn tinha sido uma Caçadora de Sombras, e tentou "ler" Clary. Ela era incapaz de fazer isso completamente porque a última tinha um bloqueio em sua mente, colocado por alguém poderoso, a quem ela imaginou que Jocelyn contratou para proteger as memórias de Clary. Ela os deixou sair depois, e ela fechou a porta apressadamente com medo do que estava à espreita acima deles.

Dorothea foi mais tarde possuída por um demônio que também queria o Cálice Mortal. Quando Clary e os outros Caçadores de Sombras vieram atrás da carta com o Cálice, "ela" deixou Jace e Clary entrarem novamente, mas fez com que Jace deizasse suas armas do lado de fora, sem saber que eles tinham reforços no andar de cima. Jace ficou imediatamente desconfiado e logo começou a tocar uma música de Bach no piano, e suas suspeitas foram ainda mais confirmadas quando ela reagiu de forma errática à música. Apenas quando o demônio não aguentou mais a música, Clary tirou ao Cálice da carta, e o demônio se revelou. Ela tentou pegar o Cálice e foi impedida pelos Caçadores de Sombras, onde ela feriu gravemente Alec Lightwood. Ela pegou o Cálice e tentou escapar com ele, mas o amigo mundano de Clary, Simon Lewis, chegou e a segurou, dando a Jace a oportunidade de matá-la.[1]

Galeria

Encontradas abaixo estão algumas das cartas de tarô que Jocelyn pintou para ela:[2]

Cartões de Trunfo (Arcanos Maiores):

Cartões de Terno (Arcanos Menores):

Bastidores

  • Na adaptação cinematográfica, Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos, ela foi interpretada por CCH Pounder. Cassandra Clare anunciou sua escalação via Tumblr.[3]
  • O personagem de Dorothea foi minimamente alterado, mas também não foi totalmente explorado dentro e além do filme. As diferenças do romance incluem:
    • Dorothea no filme foi feita para ser uma feiticeira real – algo que Jace imediatamente percebeu.
    • Bem como outras cenas no filme, sua cena com Clary e Jace também foram comprimidas.
    • A possessão de Dorothea por um demônio foi acionada depois que Clary puxou o Cálice da carta de tarô e porque Jace tocou uma música de Bach que incomodava demônios.
    • No livro, o demônio Abbadon realmente introduziu-se e tomou a sua própria, verdadeira forma depois de possuir Dorothea, enquanto no filme, sua possessão só foi exposta mais tarde por Clary e não foi tão evidente como no livro, e sua aparência era mantida na maior parte, com somente algumas adições protéticas monstruosas.
    • No livro, Simon indiretamente matou-a na forma demoníaca possuída expondo-a ao sol uma flecha em sua clarabóia; no filme, Simon a encontrou em sua forma humana e só a atingiu com uma pá, foi Jace que finalmente a matou com uma lâmina serafim.

Referências

Esta página utiliza conteúdo de uma página da The Shadowhunters Wiki.
A lista de autores pode ser vista no histórico da página.