FANDOM


Lobisomens, também conhecidos como Licantropes e os Filhos da Lua, são uma espécie de Seres do Submundo. Assim como os vampiros, os lobisomens são humanos infectados com uma doença demoníaca, que lhes dá habilidade de transformar – ou Mudar – em lobos poderosos e ganhar sua força desumana e capacidades aumentadas.

Descrição

A licantropia transforma um humano em um lobisomem, um semi-humano cuja infecção demoníaca faz com que eles se transformem em grandes lobos sob a luz da lua cheia, embora também possam mudar à vontade. Os lobisomens em sua forma lupina possuem força e velocidade não naturais, comparáveis à dos demônios, com garras e caninos fortes o suficiente para poder atravessar uma cerca de corrente ou morder através de um cadeado. Embora eles ainda tenham um pouco de semelhança com sua forma humana enquanto Transformados, seus olhos se tornam os de um lobo, e até a cor de seus olhos muda para azul ou uma cor brilhante, variando de amarelo ou amarelo-esverdeado a laranja ou dourado.

Além de sua força sobrenatural, graça e reflexos, os lobisomens têm as mesmas habilidades curativas não naturais aceleradas que a maioria dos outros Seres do Submundo. Eles não podem regenerar um membro cortado, mas eles podem se recuperar rapidamente das feridas mundanas.[1]

Na forma humana, eles parecem bastante normais, embora um pouco esfarrapados, uma vez que muitos deles não se importam muito com a aparência e não se preocupam em se limpar. Os lobisomens também mantêm a sua velocidade e força sobre-humana, enquanto na forma humana. Os lobisomens também são mortais; envelhecem e morrem normalmente como humanos comuns, embora cresçam um pouco mais rápido.

História

Cob wolf

Lobisomens atacam os vampiros no Hotel Dumort.

Desconhece-se que demônio, ou tipo demoníaco, é responsável pela primeira aparição de lobisomens; no entanto, há um suposto Demônio Maior de origem, que geralmente é designado pelo nome substituto "Lobo" na literatura. Apesar de muitas supostas descrições de Lobo na escrita medieval, não existe um candidato credível para quem ele possa ser. Ele parece ter aparecido, criado lobisomens e depois deixado a Terra para sempre.

Acredita-se que a licantropia tenha aparecido pela primeira vez nas florestas da Europa Central em algum momento do século XIII. Acredita-se que se espalhou rapidamente pela Europa e depois mais devagar para o resto do mundo. Perseguir e incendiar lobisomens publicamente prevaleceu durante o final do século XV e o início do século XVI.[1]

Criação

Novos lobisomens são criados quando um lobisomem existente morde ou arranha um humano. Em aproximadamente metade das vezes, uma mordida de lobisomem causará licantropia em sua vítima. Nos tempos modernos, muitas garantias contra mordidas de lobisomens são realizadas, e muito trabalho organizacional tem sido feito pelos Nephilim e pelos próprios lobisomens para impedir ataques inesperados. Como resultado, mordidas de lobisomens são uma ocorrência rara no dia moderno.

Além de ser mordido, lobisomens também podem nascer de dois pais lobisomens, ou podem ser transformados através de um feitiço.

A responsabilidade do lobisomem recém-criado é obter o controle de sua transformação, também conhecido como a Transformação. Com auto-posse e treinamento adequado para se controlar, os lobisomens podem facilmente se ajustar e viver entre mundanos pacificamente sem detecção, mais do que outros Seres do Submundo. Após a primeira transformação, leva algum tempo para que um lobisomem possa resistir ao efeito da lua em suas diferentes fases. Muitos licantropes, como Luke Garroway, treinam-se para serem impermeáveis aos efeitos da lua durante a maior parte de suas fases, mas até mesmo os mais treinados como Luke ainda são forçados a entrar em sua forma de lobo durante a lua cheia.

Codex Werewolves

Nos regulamentos da Praetor Lupus, qualquer lobisomem que não consegue controlar conscientemente a Transformação é considerado rebelde, independentemente das suas intenções. Este regulamento destina-se a motivar os lobisomens a aprender a controlar suas Transformações para evitar as consequências da Pretor; um ataque acidental é um desastre tanto para a comunidade da Praetor como para a dos lobisomens, e, como tal, eles reforçam fortemente essas regras para garantir a segurança dos mundanos desavisados e da comunidade de lobisomens, bem como o segredo deste último.

Alguns lobisomens também nascem com licantropia através de seus pais lobisomens,[2] embora nem todos os filhos de lobisomens necessariamente nascerão com licantropia. O filho de um mundano e um lobisomem tem uma chance de ser infectado, mas também podem combater a infecção no útero, resultando em uma criança mundana, enquanto a prole de dois lobisomens pode ou não se tornar um lobisomem. Se a criança nascer um humano comum, eles teriam algumas propriedades não comuns.[3] Os metade- ou parte-lobisomens, ou aqueles com o vírus adormecido, possuem velocidade e força aumentada e podem transmitir o vírus, mas nunca podem se transformar em lobos reais.[4]

Fraquezas

As únicas maneiras de ferir ou matar permanentemente um lobisomem são ou com o fogo angelical de uma lâmina serafim ou com prata pura. A prata está associada à lua, e as feridas feitas com armas de prata não só causam danos permanentes aos feridos, mas também causarão muita dor, pois até mesmo suas habilidades de cura aprimoradas não são eficazes quando uma ferida é infligida pela prata. Qualquer Instituto terá uma provisão de armas de prata no lugar por este motivo, em caso de lobisomens rebeldes.[1]

Cultura

Muitos lobisomens, assim como vampiros, pertencem a um grupo: no caso deles, uma matilha, embora existam lobos sem matilha, e aqueles que tendem a viajar sozinhos de noite, mantendo-se nas ruas e nas estradas do país.[5] A Praetor Lupus é encarregada de garantir que todos os novos Submundanos encontrem seu lugar em sua respectiva sociedade, incluindo encontrar matilhas para lobisomens órfãos.[2]

Cada matilha de lobisomens é liderado por um lobo alfa. Qualquer lobisomem que mate o líder da matilha posteriormente ganhará o controle da mesma.[5] Além da batalha, um líder lobisomem também pode simplesmente partir e nomear um novo para substituí-lo.[6]

Como lobisomens, eles seguem a longa tradição de serem inimigos mortais dos vampiros. Maia explica que a crença é que os demônios que passaram a doença aos seres humanos que deram à luz a vampiros e lobisomens tinham sido inimigos mortais e, como resultado, o preconceito foi passado pelas suas respectivas raças.

Lobisomens conhecidos

Curiosidades

  • Wolfsbane é uma planta conhecida por ter um efeito negativo contra lobisomens em vários saberes, mas não se sabe o que a wolfsbane faz a lobisomens nas Crônicas dos Caçadores de Sombras. O lobisomem Jordan Kyle era conhecido por tê-las crescendo em sua varanda, e lobisomens as compram do Mercado das Sombras. Simon notou a wolfsbane de Jordan e uma vez comentou o fato de que tinha folhas prateadas.
  • O açúcar refinado é supostamente prejudicial aos lobisomens.[7]
  • Embora tenha sido estabelecido que é possível que um lobisomem nasça infectado com licantropia, o Códex dos Caçadores de Sombras afirma que os pais lobisomem não passam licantropia para seus filhos. Isso pode, contudo, ser devido ao fato de que o Códex contém principalmente o conhecimento obtido pelos Caçadores de Sombras, e que a maioria deles simplesmente não sabe ou acredita nisso.[1][8]

Referências

Esta página utiliza conteúdo de um artigo da The Shadowhunters Wiki.
A lista de autores pode ser vista no histórico da página.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.