FANDOM


Lilith é um Demônio Maior, nomeada a mãe de todos os feiticeiros e "a primeira de todos os demônios".[1]

Lilith é conhecida por vários nomes, incluindo Lady de Edom, Ita, Kali, Batna, Talto, Satrina, Abito, Amizo, Izorpo, Kokos, Odam, Podo, Eilo, Patrota, Kea e Partash.[1][2]

História

Lilith foi originalmente criada como uma esposa para Adão fora da Terra; no entanto, ela não quis obedecer Deus, e por isso ela foi expulsa do Jardim do Éden e foi substituída por Eva. De acordo com o folclore judeu, de onde a maior parte das informações sobre ela é retirada, Lilith foi punida por sua desobediência por meio da incapacidade de gerar filhos, ou, ao menos, só sendo capaz de de gestar bebês que então morreriam no nascimento. Lilith é associada como a causa pelo enfraquecimento de bebês humanos.

Pouco depois disso, ela iniciou um relacionamento com o Anjo Caído Samael, e sua relação a corrompeu no primeiro demônio originalmente humano.

Samael e Lilith viajaram pelo mundo, criando demônios em todas as terras que visitaram, promovendo a criação de feiticeiros, bruxos e fadas. Eventualmente, com a criação de muitos demônios, e o Paraíso, reconhecendo o perigo da crescente horda em uma ainda jovem humanidade, declarou guerra a todos os seres malignos com o objetivo de transportá-los da Terra para o Vazio. Para garantir que os demônios não conseguissem simplesmente retornar as coisas ao que era antes da guerra após a retirada das forças do Paraiso da Terra, os anjos alteraram a Terra de modo a torná-la hostil à presença de um demônio sobre ela, e reforçaram as barreiras entre a Terra e o Vazio. Caso um demônio maior, como Lilith ou Samael, tentasse retornar à Terra, só poderia permanecer por algumas horas, até que sua essência fosse sugada de volta pelo Vazio.

No entanto, Samael e Lilith elaboraram um meio pelo qual combater os efeitos da alteração da Terra pelo Paraíso e o aumento das barreiras entre o Vazio e a Terra. Em um ritual em torno do ano 1000, Samael e Lilith enfraqueceram drasticamente o véu entre as dimensões, fortalecendo toda a imunidade da raça demoníaca para o ambiente da Terra. Mais uma vez, a ninhada de Lilith e Samael seria capaz de andar na Terra em grande número.

Essa vitória foi de curta duração, no entanto, pois Samael foi caçado e morto por um furioso Miguel. Cem anos ou mais depois, Raziel criou a raça dos Nephilim, começando com Jonathan Caçador de Sombras, para combater a escuridão que escoa para fora do Vazio.[2]

Londres, Era Vitoriana

Lilith estava em um relacionamento sexual com Benedict Lightwood, contribuindo para sua contração da varíola demoníaca. Ela foi vista com Benedict em sua própria festa na mansão Lightwood, onde Tessa Gray descreveu-a como uma mulher com cobras nos olhos.

Parceria com Valentim

Em algum momento nos anos 1990, foi convocada por um jovem ambicioso Caçador de Sombras, Valentim Morgenstern. Lilith concordou em doar seu sangue para seus experimentos e se interessou pelo seu ainda não nascido filho, para cuja mãe biológica Valentim vinha dando o sangue de Lilith, acreditando que ele seria um ser poderoso—de acordo com ela, ainda mais poderoso que todos os Demônios Maiores, e mais poderoso que o Asmodei. Lilith, desde então, manteve o controle sobre Jonathan, a quem vê como seu próprio filho e que a vê como sua verdadeira mãe.

Nova York, 2007

Em Alicante, Clary e Jace tiveram uma visão compartilhada do anjo Ithuriel de Lilith doando a Valentim seu sangue e dizendo-lhe os diversos efeitos que seu sangue teria sobre seu filho com Jocelyn.

Durante a batalha na Floresta Brocelind, Lilith passou pelo portal que Valentim criara para Idris por curiosidade. Ela testemunhou a morte de Valentim e também a revitalização de Jace. Preocupada com “seu filho”, Lilith correu até seu corpo e o levou consigo, sabendo que poderia encontrar uma maneira de trazê-lo de volta, aproveitando o renascimento de Jace, restabelecendo o equilíbrio entre a Luz e a Trevas.

Jace, tendo renascido, não tinha a proteção que os Caçadores de Sombras recebem ao nascer, que afastam as más influencias da mente. Aproveitando desse descuido, Lilith começou a enviar sonhos perturbadores, tais como ele matando a própria namorada, Clary. Antes que os Irmãos do Silêncio pudessem refazer o ritual de proteção, Lilith deu a Jace o sonho que mudaria tudo, ela mostrou-lhe seu irmão adotivo, Max Lightwood, que teria sido enviado do Paraíso para ajudá-lo. Lilith, através da visão de Max, instruiu Jace a se cortar com uma faca para sangrar o mal nele, em seguida usou seu sangue para Marcá-lo com uma runa que involuntariamente ligou-o a Jonathan.

Ao mesmo tempo, Lilith enviou homens para capturar o Diurno, Simon Lewis, mas todos, exceto um, foram mortos como resultado de tentar machucar Simon enquanto ele possuía a Marca de Caim,embora o homem sobrevivente não tivesse ideia de como isso ocorreu. O último homem restante informou-a do fogo sagrado e da ira de Deus que tinha matado seus cúmplices. Sabendo que só poderia lidar pessoalmente com Simon, foi até ele com o pretexto de ser promotora de banda, Satrina Kendall, e deu-lhe o seu cartão alegando estar interessada em sua banda. Foi então que ela viu o que estava protegendo-o de seus homens—a Marca de Caim em sua testa, uma marca que ela estava familiarizada, já que conheceu pessoalmente Caim.

Temendo represálias da Marca, Lilith, percebendo que não poderia forçá-lo a fazer o que ela queria por conta própria, sequestrou Maureen Brown, a mundana de quem ele tinha se alimentado acidentalmente depois de passar muito tempo sem sangue. Ela fez Camille Belcourt matá-la e transformá-la em vampira, e ordenou-lhe atrair Simon para seu covil. Lá, ela revelou que foi ela quem mandou Camille assassinar os quatro Caçadores de Sombras e que ela estava por trás dos bebês demônios, os quais seus seguidores estavam matando por ela.

Lilith exige que Simon ressuscite Jonathan o alimentando com seu sangue. Uma vez que os outros Caçadores de Sombras rastreiam Simon em seu covil, Lilith os confronta em batalha e prova ser muito poderosa. Simon percebe que ela estava prestes a chicotear Clary, e reflexivamente salta entre elas para proteger Clary. Como o chicote o feriu, a marca de Caim entra em vigor e destrói Lilith multiplicado em “sete vezes”, espalhando sua essência entre os mundos.[1]

Ela foi por fim bem sucedida contudo, conforme Jonathan foi finalmente revivido porque a runa em Jace que o ligava a Jonathan, que já havia se curado depois de ser danificada por Clary, o reconectou à vontade de Jonathan e o obrigou a dar seu sangue para Jonathan; a mistura de seu sangue concluiu a ligação entre eles em um feitiço de geminação, uma versão um tanto demoníaca do vínculo parabatai.

Lilith acabou por ser chamado de volta à Terra por Jonathan, ajudando-a a se reformar mais rápido, embora não completamente. Ela ainda estava muito fraca e só era capaz de fornecer seu sangue para o Cálice Infernal, a fim de Jonathan pode criar um exército de Caçadores de Sombras Malignos.[3] Ela permitiu que Jonathan se refugiasse em seu reino, Edom. Quando Jonathan morreu e o exército de crepusculares foi destruído na Guerra Maligna, ela chorou por seus “filhos” de sangue, e seu choro pôde ser ouvido por todo o Edom.[4]

Aparições

Descrição

Lilith é descrita como bonita, exceto por possuir serpentes negras saltando das órbitas de seus olhos. Ela possui cabelo preto longo e brilhante. Sua forma corporal é magra e adorável, e tem pele clara.

Curiosidades

  • A Igreja de Talto abriga um culto que trabalha para Lilith e mata bebês por ela.[3]
  • Asmodeus referiu-se a ela como sua princesa.[4] (capítulo 23)

Referências

Agradecimentos: Thamires Araujo Felix

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.