FANDOM


Outra versão
ALERTA DE SPOILER: Detalhes do enredo a seguir. Aconselhamos atenção!
Não assine nenhum contrato nem concorde com nenhuma qualquer barganha proposta por uma fada. Fadas adoram pechinchar, mas normalmente só o fazem se a tiverem certeza de que vão ganhar. Não coma nem beba nada que uma fada lhe ofereça. Não vá às festividades mágicas que promovem sob as colinas. Vão fazer belas promessas sobre o que o espera ali, mas a beleza é falsa e oca. Não deboche de uma fada por causa de sua altura. Não espere respostas diretas a perguntas diretas. Espere respostas indiretas a perguntas indiretas.

O Códex dos Caçadores de Sombras

Fadas, também conhecidas como Povo das Fadas ou feéricos, são uma raça extremamente astuciosa de Seres do Submundo.

Descrição

Devido à lenda de sua origem, as fadas são associadas à beleza dos Anjos e a malignidade dos demônios. Além dos anjos, eles são o grupo menos compreendido de todo o povo mágico - o grande mistério ancestral no Mundo das Sombras. Apesar de acreditar-se largamente que sejam descendentes de demônios e anjos – algo que sua espécie aparentemente não se incomodou em negar – fadas possuem almas humanas tanto quanto os outros Seres do Submundo, e são contadas como membros da raça humana pelos cidadãos do Paraíso.[1]

O Povo das Fadas é conhecido por sua beleza sobrenatural, muitas fadas são ditas com sendo extremamente atraentes com rostos delicados e régios. Embora se assemelhem principalmente a seres humanos, alguns têm características extraordinárias, como asas, chifres, olhos ou pele de cor estranha,[2] muito parecido com as marcas dos feiticeiros. Um aspecto comum entre eles são as orelhas pontiagudas. As fadas geralmente incorporam a flora e as múltiplas formas de vegetação como parte de seu conjunto.

A divisão da população nobre das fadas se dá entre reis, rainhas, cavaleiros e membros da corte; eles são próximos aos monarcas e considerados parte da sociedade central da Corte. Parecem-se na maior parte com os seres humanos, com orelhas pontudas e outra atribuição estranha ocasional. O povo comum são outros tipos de fadas, tais como nixies, pixies ou piskies, brownies, selkies, sátiros, sereias, kelpies, hobgoblins e boggarts; eles geralmente se parecem menos com humanos.[3][4][5]

Como o tempo tipicamente flui de maneira diferente para elas e para o seu reino, elas possuem uma vida longa e tornam-se apenas mais engenhosos e poderosos à medida que envelhecem, embora não sejam imortais.

Elas são conhecidas por sua destreza e seu senso de humor cruel, e se deliciam especialmente ao enganar humanos – tanto mundanos quanto Caçadores de Sombras. Frequentemente tentam barganhar com humanos, oferecendo a alguém seu maior desejo, mas esquecendo-se de mencionar que esse desejo vem com um custo terrível. Elas são comprometidas com as noções de honra e etiqueta, e enquanto as fadas sempre seguem exatamente a letra de qualquer promessa que fizeram, eles entregam esses resultados com grande ironia e frequentemente usam o inteligente jogo de palavras a seu favor para criar brechas.

O Povo das Fadas são incapazes de mentir. Eles podem, entretanto, contar o que acreditam ser verdade, mesmo que não seja. Eles também podem, habilmente, tecer mentiras em sentenças, por usar métodos como não contar toda a verdade, ou deixar que as pessoas presumam as coisas sozinhas, não as corrigindo caso estejam erradas. Isso não se aplica, entretanto, àqueles que são metade-fada, que podem mentir tão facilmente quanto qualquer outro ser.[6]

Tanto quanto se deleitam ao manipular humanos, deleitam-se ao manipularem-se umas às outras, e normalmente se os problemas da fada penetram no resto do mundo, é o resultado de conflitos entre cortes rivais; algumas das quais são brincalhonas, enquanto as outras são sérias e brutais.[7]

Habilidades

Fadas, assim como vampiros e lobisomens, possuem habilidade sobrenatural de rapidez e graça, e sentidos intensificados de olfato e audição.

A magia das fadas é tida como única no mundo. É bastante antiga e poderosa, mas sem alinhamento angelical ou demoníaco. Elas podem armar-se com o poder das Linhas Ley, bem como outras magias estranhas. As fadas são mais antigas do que os acordos, mais antigas do que os Nephilim, e acredita-se que sejam a raça mais antiga entre todos os seres do submundo. Elas possuem sua própria magia, contra a qual o Livro Gray pode apenas parcialmente e imperfeitamente proteger; entretanto, existem Marcas Nephilim que protegem os Caçadores de Sombras dos encantamentos de fadas por esse mesmo motivo.[7]

Os exércitos de fadas também são lendários no que concerne o seu poder na guerra, como evidenciado por seu papel na Guerra Maligna.

Política

As fadas são organizadas e classificadas em cortes, especificamente a Corte Seelie e a Corte Unseelie, com soberanos reinando sobre territórios específicos no mundo humano e em seu próprio, tais como a Rainha Seelie reinando na Corte Seelie. Entretanto, há igualmente tantas - se não mais - fadas livres no mundo que não são afiliadas a nenhuma Corte, nem juraram fidelidade a nenhum monarca específico; um exemplo disso é a Caçada Selvagem. As fadas, como indivíduos, são divididas em nobreza e povo comum.[3]

O Povo das Fadas também possui um relacionamento difícil com os feiticeiros, particularmente porque tendem a desprezá-los por sua disposição a realizar magia por dinheiro, enquanto os feiticeiros as desprezam por sua inabilidade em mentir, seus costumes difíceis, e sua inclinação mesquinha de incomodar mundanos.[6]

Apesar de as fadas serem membros ativos do Submundo e signatárias dos Acordos, são mais removidas dos negócios do mundo do que qualquer outra criatura, à parte dos anjos. Elas geralmente são reclusas, e têm sua própria política complexa e estruturas sociais entre seu próprio povo.

A relação das Fadas com os Nephilim é ainda mais manchada do que com a maior parte dos demais não-fadas. Elas costumavam ter um assento no Conselho, ocupado pelo cavaleiro Meliorn, o qual a Rainha da Corte Seelie nomeou principalmente por sua habilidade conveniente de ser capaz de mentir, graças à sua herança metade-fada.

Além disso, complicaram ainda mais as coisas os eventos da Guerra Maligna, durante a qual o Povo das Fadas auxiliou o inimigo da Clave fornecendo ao exército de Crepusculares de Sebastian Morgenstern proteção e guerreiros fada para sua guerra contra os Nephilim. Após a Guerra Maligna, a Clave, bem conhecida por ser implacável, anunciou uma série de sanções contra as Fadas; e também ordens complicadas, que elas concluíram serem incapazes de aceitar, em troca de não declarar guerra contra seu povo. Apesar de terem perdido seus assentos no Conselho, permitiu-se que Kaelie Whitewillow representasse a Corte Seelie durante seus apelos de clemência à Clave.

As sanções da Clave contra o Povo das Fadas incluíram o seguinte: as fadas pagariam reparações pela perda de vidas de Nephilim e Seres do Submundo como resultado por seus ataques aos Institutos e ao Praetor Lupus; não mais lhes seria permitido ter guerreiros ou exércitos armados, e qualquer fada que fosse vista portando armas sem a aprovação da Clave seria morta; e não mais seriam diretamente protegidos pela Clave sob os Acordos. Os termos atraíram a ira de sua espécie; apesar disso, como apenas Kaelie e o representante dos feiticeiros, Magnus Bane, objetaram-se aos termos do tratado, as fadas foram forçadas a, relutantemente, aceitar. Esse acordo veio a ser conhecido como a Paz Fria.

Mais tarde, os feiticeiros Catarina Loss e Magnus discutiram como tinham ouvido rumores no Submundo de que o Povo das Fadas um dia iria se vingar dos Nephilim e do Conselho por suas sanções, embora admitissem que as fadas são pessoas orgulhosas e pacientes que podem se contentar em esperar anos, ou mesmo gerações, antes de buscar vingança. A tensão entre o Povo das Fadas e os Caçadores de Sombras após a Guerra Maligna tornou-se tão severa que até mesmo seus próprios Caçadores de Sombras metade-feéricos foram pegos no fogo cruzado, resultando em Mark Blackthorn sendo abandonado para a Caçada Selvagem, e sua irmã Helen Blackthorn sendo enviada para a Ilha Wrangel para estudar as barreiras.

Criação

Origens

A origem das fadas varia conforme a lenda, e não é completamente conhecida. De acordo com uma lenda, as fadas são anjos caídos, expulsas do Paraíso por seu orgulho.[8] Outra versão afirma que nasceram da união entre anjos e demônios, ambos os quais estavam presentes na Terra no começo remoto da história do planeta. Entretanto, a maioria das fadas conhecidas nos dias atuais é, de fato, a descendência de outras fadas (assim como a maioria dos Caçadores de Sombras é a prole de outros, e não nascidos do Cálice Mortal), então a maneira como as fadas foram originalmente criadas é desconhecida.[9]

Reprodução

As fadas são capazes de gerar crianças. Entretanto, elas aparentemente não se reproduzem tão frequentemente, porque é extremamente difícil para elas engravidar.[10]

Uma união entre humano e fada resultará em uma criança humana que pode reter alguns aspectos feéricos ou ter uma parcela de certos tipos de magia de fadas.[7] Adicionalmente, os filhos de Fadas e Caçadores de Sombras serão Caçadores de Sombras, apesar de eles também terem, frequentemente, algum atributo físico feérico, tais como orelhas pontiagudas.

Ainda que a maior parte dos metade-Fadas seja humana, aqueles que vivem entre as Fadas nas Cortes desenvolverão ou terão qualidades mais fortes,[11] assim como acontece com as crianças trocadas. Metade-fadas tendem a ser menos afetados pelas fraquezas das fadas: as fadas são capazes de mentir, e elas não costumam ser feridas por coisas como madeira de sorveira e ferro puro além de alguma irritação menor,[12]

Changelings

Devido ao seu isolamento, as fadas arriscam o enfraquecimento de sua linhagem. Por essa razão, elas passam muito tempo atraindo humanos para seu mundo: ou ao criar crianças trocadas, crianças mundanas tomadas de suas casas e substituídas por crianças fadas doentias, ou ao atrair mundanos adultos para suas orgias. Em relação aos adultos, elas os aprisionam com sua magia em seu reino, até que esqueçam suas vidas anteriores e "se tornem nativos", ou ao menos até poderem ser usados para produzir novas crianças fadas. Entretanto, changelings misteriosamente adquirem atributos feéricos, sendo capazes de praticar algumas mágicas, trazendo-se, assim, novo sangue forte para as linhagens.

Embora esse assunto tenha sido debatido acaloradamente por Caçadores de Sombras, o Pacto proíbe que os Nephilim interfiram nesse processo de troca de crianças. Determinou-se assim porque ambas as crianças são criadas em lares amorosos,—as fadas escolhem os pais adotivos de sua prole cuidadosamente—e porque nenhuma solução melhor para renovar as linhagens de fadas fora encontrada. O pragmatismo leva os Nephilim a preferirem que as fadas criem changelings em vez de sequestrar mundanos adultos para seus reinos.[7]

Fraquezas

O ferro, particularmente aquele meramente forjado, mas ainda precisando ser aquecido e moldado, é tóxico para fadas. Por causa disso, o termo "ferro frio" tem sido usado para referir-se às fadas e o fato de o ferro ser frio ao toque, que foi outrora associado às suas propriedades mágicas. O aço, uma liga de ferro, geralmente não é tóxico, já que é a pureza do ferro que garante seu poder sobre as fadas,[7] apesar de as enfraquecer até determinado ponto. Também são vulneráveis à sorveira, sal e terra de cemitério.[6]

Apesar de suportarem a presença e o contato, as fadas enfraquecem severamente e se tornam doentes se enganadas para beberem água benta.[7]

Adicionalmente, saber o nome real de uma fada dá poder sobre ela.[13][14] Isso não se aplica a pessoas que são parte-feéricos.[15]

Reino das Fadas

Artigo principal: Reino das Fadas

O Reino das Fadas, às vezes chamado de terra sob a colina, é o território do Povo das Fadas, onde geralmente intrusos não são bem-vindos. A comida ou bebidas podem aprisionar as pessoas no interior do Reino, até libertas pela Rainha, o que normalmente envolve alguma forma de barganha ou trapaça.

Apesar de ser descrito como um reino e se poder entrar nele como em um país, ele não admite ser examinado, e não tem um traçado definido. O tempo flui diferentemente no Reino, algumas vezes mais lentamente, outras, mais rapidamente. As estações podem mudar em um piscar de olhos, montanhas e cavernas podem aparecer onde minutos antes nada parecido era visível, e seus rios mudam de curso ao capricho de alguma força desconhecida. Nenhum mapa do Reino das Fadas foi produzido.[7]

Variedades Conhecidas

Codex Fair Folk

Uma ilustração das fadas e seus tamanhos variados no Códex dos Caçadores de Sombras

As fadas podem ser encontradas em incontáveis variedades, tamanhos e formas, e em todos os ambientes.

  • Boggarts[5]
  • Brownies (Seelie)
  • Djinn - às vezes confundidos com demônios[7]
  • Dríade (fada da madeira)
  • Elfos (fadas de 8 polegadas com dentes afiados)
  • Goblins e Hobgoblins (Unseelie)
  • Kelpies (descritos como pessoas de tamanho médio com cabelos verdes escuros, dedos palmados e dentes de tubarão)
  • Aldravas (Unseelie)
  • Leanansídhe
  • Sereias
  • Nixies (fada da água)
  • Ninfas
  • Ogros (unseelie)
  • Peris
  • Phoukas
  • Piskies
  • Pixies (Seelie; fadas do tamanho de traças com rostos "bonitinhos" e dentes afiados)
  • Pucas (descritas como altas e de pele escura e orelhas pontudas)
  • Sátiros (Unseelie; metade bodes, metade humanos)
  • Selkies
  • Sprites
  • Unicórnios (seelie)
  • Fadas não-identificadas dançando na Corte Seelie, descritas com chifres e dorsos parecidos com esqueletos
  • Fada de 4 braços de pele roxa clara não identificada na festa de Magnus, servindo bebidas no bar

Fadas Conhecidas

Galeria

Curiosidades

  • As fadas frequentemente escolhem objetos do mundo natural para enviar mensagens – bolotas, folhas, flores.[6]
  • Os segredos das fadas às vezes são codificados e contados em baladas por músicos humanos, um exemplo são os contos de Thomas, o Rimador.
  • As fadas são conhecidas por muitos outros nomes, com o seu título principal de "faeries" tomado após a sua terra natal, o reino de Faerie. Além de fadas e de povos lúdicos, eles também são conhecidos como Os Gentis, Pessoas Pequenas, Bons Vizinhos e alguns outros eufemismos, em parte por causa de sua enorme variedade e em parte por causa das antigas superstições sobre invocá-los pelo nome.
  • Dentro das Crônicas dos Caçadores de Sombras, as fadas são, em geral, bissexuais.[16]
  • Acredita-se, pelo menos de acordo com o Códex dos Caçadores de Sombras, que os seres humanos que possuem naturalmente a Visão herdaram-no de algum ancestral feérico.[7]
  • Segundo a Rainha Seelie, as fadas não podem sobreviver em Edom.[6]
  • Para Simon e seus sentidos de vampiro, fadas cheiram como flores mortas.[17]
  • De acordo com Mark, as fadas se sentem fortemente sobre o sangue e o que acontece com um dos membros da família reflete sobre os outros em sua linhagem, e para alguns, isso pode prevalecer sobre o afeto pela família.[12]

Referências

Esta página utiliza conteúdo de uma página da The Shadowhunters Wiki.
A lista de autores pode ser vista no histórico da página.