FANDOM


Outras Versões
ALERTA DE SPOILER: Detalhes do enredo a seguir. Aconselhamos atenção!
Clary Fairchild
CJ Flowers, Clary
Informação Biográfica
Nome
Completo
:

Clarissa Adele Fairchild-Morgenstern

Nascimento: 23 de agosto [1] de 1991;
Manhattan, Nova York
Idade: 20 (por volta do início de 2012)
Status: Viva
AKA:
Afiliação
Espécie:

Caçadora de Sombra

Ocupação:

Co-Líder do Instituto de Nova York

Residência:
  • Instituto em Manhattan, Nova York
  • Apartamento em Park Slope, Brooklyn, Nova York (anteriormente)
  • East Village, Manhattan, Nova York (anteriormente)
Relacionamentos
Familiares
Conhecidos
:
Parabatai: Simon Lovelace
Outros:
Descrição Física
Gênero: Feminino
Cor do
Cabelo
:
Vermelho
Cor dos
Olhos
:
Verdes
Altura: Em torno de 1,57
GALERIA
Heróis nem sempre são os que vencem. Algumas vezes, são os que perdem. Mas eles continuam lutando, continuam voltando. Não desistem. É isso que faz deles heróis.

– Clary para Emma, Cidade do Fogo Celestial

Clarissa Adele "Clary" Fairchild, também conhecida como Clary Fray, é uma Caçadora de Sombras filha de Jocelyn Fray e do notório líder do Ciclo, Valentim Morgenstern. Por anos, Clary viveu uma vida mundana com Jocelyn, até que o retorno de seu pai e de seu irmão, Jonathan, ameaçaram seu novo mundo, tirando suas vidas da normalidade uma vez que Clary se encontrou em uma jornada com Caçadores de Sombras a seu lado para detê-los.

Sujeita aos experimentos do pai, Clary recebeu involuntariamente sangue extra de anjo, e, através disso, a habilidade de recriar runas antigas e poderosas que não foram escritas no Livro Gray.

Biografia

Infância

Clarissa Adele Morgenstern nasceu, filha de Valentim e Jocelyn Morgenstern, em 23 de agosto[1] de 1991, cerca de um ano depois de seu irmão, Jonathan. Jocelyn a deu o nome do meio "Adele" em homenagem a sua própria mãe.[2]

Jocelyn deu as costas aos ideais de seu pai meses antes de sua concepção. Durante o tempo após o primeiro filho de sua mãe nascer, ela esteve sofrendo de depressão por causa de seu estranho sentimento de rejeição pelo bebê. Esperando ajudar Jocelyn, Valentim lhe deu secretamente doses do sangue do anjo Ithuriel, esperando "curar" sua depressão, alheio ao fato de que ela estava grávida de Clary, fazendo de sua filha, desta forma, um experimento "acidental".

Eventualmente, Jocelyn orquestrou a Ascensão com Lucian Graymark contra Valentim. Ela teria simplesmente abandonado-o, mas percebeu que ele viria atrás deles, então esperava matar Valentim para proteger seu filho não-nascido. Durante a Ascensão, Valentim disse a Jocelyn que ela pagaria pelo que fizera. Jocelyn correu até sua casa, com Lucian, encontrando-a completamente queimada, com os ossos de seus pais, de seu filho e de Valentim ali. Jocelyn chorou e pranteou seu filho perdido, mas sabia que Valentim estava vivo. Ela, então, fugiu do mundo e da cultura dos Caçadores de Sombras, alegando que ele havia transformado seu primeiro filho em um monstro e não faria o mesmo com o segundo, e fugiu para Nova York para criar Clary longe do passado, para onde Luke as seguiu.

Jocelyn esperava que Clary não possuísse o Olho Interno, já que alguns Caçadores de Sombras precisavam ser treinados para enxergar o Mundo das Sombras. Entretanto, Clary via-o perfeitamente bem, e, quando tinha três anos, Clary até mesmo brincou com fadas no parque. Isso impeliu sua mãe a abordar Magnus Bane e pedir-lhe para remover sua Visão. Incapaz de fazê-lo sem colocar Clary em risco, Magnus criou um glamour em sua mente que a faria esquecer o que visse do Mundo das Sombras mesmo no momento em que via, com um feitiço complicado que precisaria ser recolocado a cada dois anos.

Com Magnus no dia em que Jocelyn o abordou estava Tessa Gray, que se voluntariou para realizar o ritual que colocaria os feitiços de proteção necessários em Clary, que eram tipicamente colocados em crianças caçadoras de sombras por uma irmã de ferro e um irmão do silêncio - Irmão Zachariah, no caso. Clary e Jocelyn adotaram o sobrenome Fray. Jocelyn alega ter escolhido esse sobrenome em particular por causa de Tessa - seria uma junção de Fairchild e Gray.[3]

Clary tinha cinco anos quando Luke finalmente encontrou Jocelyn e ela. Vendo como Clary se dava bem com ele, Jocelyn permitiu que Luke ficasse e se tornasse uma peça essencial em suas vidas. De fato, ele se tornou tão integrado com a vida de Clary que eles começaram a compartilhar um relacionamento quase paternal, com Clary admitindo que ela sempre vira Luke como seu pai. Quando Clary tinha seis anos de idade, ela conheceu Simon Lewis, e os dois se tornaram inseparáveis. Simon era tão parte de sua vida que ele ia para a fazenda de Luke com ela nas férias de verão. Ele regularmente passava as férias em sua casa e ela na dele, onde ficavam a noite toda conversando. Entretanto, Simon eventualmente se apaixonou por Clary, e ele escondia isso insuficientemente bem de todos, menos dela, que era, em vez disso, cega a seus sentimentos por ela. Clary nunca soube de seus sentimentos e simplesmente pensava nele como seu melhor amigo, e confidente. O irmão que ela nunca tivera.

Crescendo, ela foi levada a acreditar que seu pai era um soldado falecido, chamado Jonathan Clark, e que a caixa no quarto de sua mãe com as iniciais J. C. era dele, quando na verdade era de seu irmão (Jonathan Cristopher).

Desaparecimento de Jocelyn

Dois anos depois de sua última sessão com Magnus Bane, Clary encontrou um grupo de Caçadores de Sombras enquanto estava no Clube Pandemônio com Simon. Ela os viu matar um garoto, que na verdade era um demônio Eidolon. Quando Clary chamou os seguranças, ninguém mais além dela conseguia ver os Caçadores de Sombras. Então, tornou-se claro que a Visão de Clary estava retornando. No dia seguinte, Clary foi informada por Jocelyn e Luke que eles fariam uma viagem repentina para a casa na fazenda de Luke, arruinando, assim, seus planos para o verão. Furiosa, Clary não ouviu seus motivos e saiu com Simon, que estava reunindo coragem para revelar a Clary seus sentimentos. Ela foi seguida por um dos caçadores de sombras, Jace Wayland, enviado por seu tutor, Hodge Starkweather.

Mais tarde naquele dia, durante uma discussão com Jace, Clary recebeu ligações constantes de sua mãe. Apesar de ter tentado atender sua última chamada, pareceu tarde demais, já que Jocelyn estava dizendo-lhe para ficar longe do apartamento de ambas. Contra o desejo de sua mãe, Clary freneticamente correu para sua casa, nervosa pelo pânico na voz de sua mãe e os sons estranhos que ela ouvira durante a ligação. Com sua casa destruída, e sua mãe, desaparecida, Clary foi, então, atacada por um demônio Ravener. Com o sensor que "pegou emprestado" de Jace e confundiu com um celular, Clary o matou, mas foi envenenada no processo. Para protegê-la dos demônios do lado de fora da casa, Clary foi marcada e levada para o Instituto de Nova York para se curar, já que Jace, ainda incerto sobre o que Clary era, temia o que a Runa faria com a garota.

No Instituto, Clary foi apresentada a seus moradores: Hodge, e os outros Caçadores de Sombras que estavam com Jace no Pandemônio, Isabelle e Alec Lightwood. Com a confirmação de Hodge, foi revelado que Clary era uma Caçadora de Sombras.

Clary exigiu ser levada à sua casa para pegar suas coisas. Enquanto Jace e ela estavam ali, eles foram atacados por um Renegado. Uma vez que Madame Dorothea, que alegava ser uma médium, vivia no andar abaixo delas, Clary a visitou para interrogá-la sobre a noite em que sua mãe desaparecera. Madame Dorothea tentou "ler" Clary, mas não conseguiu, e disse-lhes que havia um bloqueio em sua mente. Clary também descobriu que sua mãe foi sequestrada, e poderia ter fugido através do portal em seu apartamento, mas recusou-se a fazê-lo sem Clary.

Ela chegou até Luke, que descobriu ser um lobisomem e, anteriormente, o Caçador de Sombras Lucian Graymark. Embora ele tenha rapidamente dispensado-a, foi revelado que ele o fez para protegê-la dos membros do Ciclo que estavam perseguindo-o. Luke tomou a liderança da matilha de licantropes local para ajudar Clary a procurar pela mãe.

Com maiores investigações, que envolveram um encontro com os Irmãos do Silêncio na Cidade do Silêncio, foi revelado que as memórias de Clary do Mundo das Sombras haviam sido filtradas e bloqueadas de sua mente a cada dois anos pelo Alto Feiticeiro do Brooklyn, Magnus Bane. Agora consciente de sua realidade, Clary aprendeu mais sobre o Mundo das Sombras. Foi-lhe contado mais sobre sua família, particularmente sobre seus pais: Jocelyn Fairchild e seu marido, Valentim Morgenstern, que orquestrara contra a Clave e tinha sido considerado morto por anos.

Enquanto confrontava Magnus Bane em sua festa, eles descobriram que o bloqueio não poderia ser removido, mas iria gradualmente desaparecer.

Com o tempo, ela se apaixonou por Jace, seu novo companheiro. Em seu aniversário, ele lhe deu sua primeira pedra de luz enfeitiçada, e eles tiveram seu primeiro beijo na estufa do Instituto. Foram incapazes de construir um relacionamento devido às suas amizades, particularmente com Simon e o parabatai de Jace, Alec, complicando as coisas.

Eventualmente, eles descobriram que Valentim estava atrás do Cálice Mortal, o qual Jocelyn escondera quando fugiu do mundo das Sombras. Quando Clary descobriu que conseguia esconder objetos em desenhos, ela percebeu que sua mãe poderia ter feito a mesma coisa com o Cálice. Lembrando-se do ás de copas no baralho de Tarô que Jocelyn fizera para Madame Dorothea, o grupo visitou a charlatã. Apesar de terem recuperado o Cálice, Dorothea havia sido possuída por Abbadon e lutou contra o grupo, ferindo gravemente Alec, que foi, mais tarde, salvo por Magnus Bane.

Para sua surpresa, Hodge, desesperado para quebrar sua maldição, os traiu invocando a presença de Valentim no Instituto, e dando a ele o Cálice e Jace. Luke defendeu Clary quando Hodge tentou matá-la, e, junto à sua matilha, os dois foram até o Renwick para resgatar Jace e Jocelyn. Durante um confronto, Valentim revelou que Jace era, na verdade, seu primeiro filho com Jocelyn, Jonathan. Jace confirmou isso, já que fora Valentim quem o criara e fizera acreditar que eles eram Wayland. Na confusão, Valentim escapou pelo portal nas ruínas, levando o Cálice consigo. Clary tentou convencer Jace, que queria ir atrás de Valentim, a dar as costas a seu pai.

Felizmente, eles conseguiram ficar com Jocelyn, presa em seu estado de coma. Jocelyn foi levada ao hospital Beth Israel, onde Catarina Loss trabalhava. Clary e Luke a visitavam todos os dias.[4]

Presente com Marcas

Agora levados a acreditar que eram irmãos, Clary e Jace distanciaram-se um do outro. Clary começou a sair com Simon, que finalmente conseguiu dizer a ela como se sentia. Entretanto, Clary e Jace evidentemente ainda tinham sentimentos um pelo outro, apesar de sua revelação recente.

Enquanto isso, a mãe de Clary ainda não havia acordado, e Jace estava sendo expulso de casa por Maryse Lightwood. Ele foi até um bar e começou uma briga com uma matilha de lobisomens, e foi salvo por Luke Garroway, que chamou Clary.

Os três foram para o Instituto e confrontaram Maryse, que disse que a Inquisidora estava chegando para falar com Jace, e estava tentando poupá-lo disso. Quando a Inquisidora chegou, ela o prendeu na Cidade do Silêncio por sua atitude. Clary, Isabelle e Alec foram salvar Jace, e descobriram que Valentim viera durante a noite e matara os Irmãos do Silêncio a fim de conseguir a Espada Mortal. Clary usou uma runa de abertura que atirou a porta da cela de Jace para fora de suas dobradiças, e, com Alec parcialmente carregando Jace, que mal conseguia por-se de pé, eles saíram. Quando surgiram na superfície, a Inquisidora permitiu que Jace ficasse com Magnus Bane enquanto se recuperava. Clary, Jace, Isabelle e Simon foram para o Reino das Fadas e Clary deveria ficar, porque ingeriu comida das fadas por engano. Para escapar, ela precisou beijar Jace apaixonadamente, enfurecendo Simon quando saíram do Reino. Eles estavam todos no Instituto quando Raphael apareceu com um Simon semimorto, dizendo que ou ele se transformaria em vampiro ou morreria. Eles enterraram seu corpo morto, e Simon renasceu.

Após a transformação de Simon, Clary foi ao hospital, onde Jocelyn estava, em busca de conforto. Ali, ela encontrou Luke, enquanto contava para sua mãe inconsciente tudo o que havia acontecido. Ele a deixou em casa e foi para outro lugar, e ali estava Simon, esperando por ela, sentado na varanda. Mais tarde, Luke chegou, acompanhado por Maia Roberts, ferida por um demônio. Simon e Clary chamaram Jace, e, eventualmente, ele foi até lá com Alec e Magnus, para ajudar a curar a garota lobisomem. Magnus passou a noite lá para curar Luke e Maia, e Jace não teve outra escolha, já que precisava ficar onde Magnus estivesse.

Simon e Maia foram sequestrados por Valentim para um ritual, já que ele precisava do sangue de um lobisomem e de um vampiro. Alec e Isabelle ficaram para avisar à Clave, e Clary e Jace foram em uma missão de resgate com Luke e Magnus. No rio, Clary desenhou uma runa do destemor em Jace. Enquanto se dirigiam ao navio de Valentim, ela foi pega por um demônio. Ela desenhou a runa de abertura (a usada na cela de Jace) no barco, o que o fez desmoronar. No fim, quando escaparam, o sol já estava nascendo, e eles descobriram que Simon era capaz de suportar a luz do dia (graças ao sangue de anjo no sangue de Jace).[5]

A Guerra Mortal

Madeleine Bellefleur foi até Clary e disse-lhe que sua mãe poderia ser acordada do "coma" por um feiticeiro chamado Ragnor Fell, que vivia em Idris. Aparentemente, o coma fora auto-induzido por uma poção do Livro Branco. Clary planejou ir a Idris com os membros do Instituto. Jace chamou Simon, que era agora um Diurno, para que mentisse e dissesse que Clary não havia podido ir. Durante sua conversa, eles foram atacados por Renegados e forçados a passar pelo portal sem Clary, mas com Simon.

Mais tarde, ela chegou ao Instituto, e foi avisada por Magnus Bane do que acontecera (com Simon sendo deixado de fora) e de que não poderia mais ir para Idris. Chateada, ela andou até um dos lados do instituto, onde uma runa para fazer um portal surgiu em sua mente. Ela a desenhou na parede e foi para Idris, levando Luke consigo. Eles terminaram no Lago Lyn, onde Clary ficou doente, porque o lago, desde que Raziel se elevou dele, tornou-se envenenado para os Nephilim. Luke, então, levou-a para a casa de sua irmã, Amatis, onde Clary foi curada.

Quando acordou, ela descobriu que Luke havia saído, porque os Seres do Submundo não são permitidos em Idris sem permissão especial. Clary então foi, desobedecendo Amatis, para a casa dos Penhallow, onde os Lightwood estavam hospedados. Quando ela bateu na porta, Isebelle abriu e ficou muito surpreendida. Clary entrou, pedindo para ver Jace, e viu Alec, Max Lightwood, e Sebastian Verlac. Todos estavam igualmente surpresos e disseram a Clary que Jace estava lá em cima. Clary entrou e encontrou Jace beijando Aline Penhallow. Jace, em seguida, gritou com Clary, dizendo que ela era imprudente e nunca pensava sobre suas ações.

Clary correu para fora e Sebastian a seguiu. Ele caminhou com ela até a casa Amatis. Ela disse que estava à procura de Ragnor Fell e Sebastian disse que iria ajudá-la. No dia seguinte, Clary foi acordada por pedras que estavam sendo jogadas em sua janela por Sebastian. Ela, então, foi com ele, em um cavalo, para a casa de Ragnor Fell. Quando eles chegaram, Clary encontrou Magnus Bane na casa, que congelou Sebastian. Ele disse a ela que Ragnor estava morto e que ele não confiava em Sebastian. Ele também disse que o Livro do Branco estava escondido na Mansão Wayland. Magnus, em seguida, descongelou Sebastian e fingiu estar chateado e não lhes disse nada.

Eles saíram e Sebastian levou Clary para as ruínas da Mansão Fairchild, onde sua família tinha vivido. Sebastian, em seguida, beijou Clary, que decidiu que aquilo parecia errado e se afastou. Sebastian ficou com raiva dela de repente, antes de se acalmar e dizer-lhe que estava arrependido. Ele então revelou que Simon está na prisão no Gard. Sebastian, em seguida, levou Clary de volta para a casa Amatis, onde encontrou Jace. Chateada, Clary começou a atirar pratos nele. Ele a acalmou, e então eles usaram um portal para chegar à mansão Wayland, para encontrar o Livro do Branco, que Jace, tendo vivido lá por dez anos, sabia exatamente onde encontrá-lo.

Jocelyn havia escondido em "Receitas simples para Donas de Casa", um livro que ela sabia que seu marido nunca iria abrir. Eles descobriram os restos de um experimento que Valentim tinha executado em um anjo meio morto, chamado Ithuriel. Eles, então, aprenderam através do anjo que Jace tinha sangue de demônio. Jace, depois que o anjo mostrou-lhes as visões, puxou um punhal e entregou-o ao anjo. O anjo se matou. Os dois quase não conseguiram sair da casa vivos quando começou a explodir e enquanto estavam deitados no chão eles compartilharam um breve momento de romance apaixonado. Clary parou, quando as coisas começaram a ir muito longe, acusando Jace de usá-la para que ele pudesse odiar a si mesmo e ele então disse que culpava o seu sangue de demônio por seus sentimentos incestuosos por ela. Os dois retornaram para Alicante e encontra-na em chamas. Clary deu o livro de feitiços para Magnus para que ele pudesse acordar sua mãe.

Jace, Clary e Alec saíram para libertar Simon da cadeia, onde ele mantido e libertaram também Samuel, o companheiro de sela de Simon, apenas para descobrir que Samuel era na verdade Hodge Starkweather. Ele informou que o espelho, o último dos Instrumentos Mortais, era na verdade o Lago Lyn. Hodge foi morto por Sebastian, que alegou que ele fez isso para mantê-los fora de perigo. Isso fez com que os quatro percebessem que Sebastian era um espião de Valentim, que fugiu depois de uma batalha difícil com eles. Eles voltaram para o Salão, apenas para descobrir que Sebastian tinha matado Max. Depois do funeral de Max, Jace sorrateiramente foi até o quarto de Clary e disse que a amava e que sempre amaria. Os dois então adormeceram de mãos dadas. Na manhã seguinte, Jace deixou um bilhete e saiu sorrateiramente para encontrar Sebastian.[6]

Clary conseguiu convencer a Clave a lutar ao lado dos submundanos e ensinou-lhes uma runa de ligação que o anjo morrendo mostrou a ela. Foi durante este tempo que ela descobriu depois de conversar com sua mãe, que tinha finalmente despertado do coma por Magnus através do livro de feitiços, que recebeu o sangue de anjo enquanto no útero e que Jace era na verdade o filho de Stephen Herondale, filho da última Inquisidora, que também tinha recebido sangue de anjo durante a sua própria experiência enquanto ele estava no ventre de sua mãe. Isso significava que Jace e Clary não eram irmãos e revelou ainda que Sebastian era realmente irmão de Clary.

Clary, em seguida, marcou Simon com a Marca de Caim, um poderoso feitiço de proteção, com a intenção de salvá-lo de Raphael, que disse que os vampiros só iriam lutar com os caçadores de sombras contra Valentim se lhe entregassem Simon. A troca fez com que os vampiros lutassem com a Clave. Clary se teleportou para o Lago Lyn para impedir Valentim de convocar Raziel, mas ele usou runas para paralisar seu corpo e voz. Ele então revelou-lhe sua intenção de usá-la como um sacrifício. Quando Jace chegou para resgatá-la Valentim usou o sangue de Jace para o sacrifício ao esfaqueá-lo no peito, e com sucesso convocou Raziel. No entanto, Clary conseguiu colocar sua própria marca no pentagrama, que fez dela a convocadora do anjo. Raziel foi capaz de trazer Valentim à justiça e matou-o. Quando Raziel ofereceu conceder a Clary um desejo, Clary pediu Jace. Uma vez que ele foi trazido de volta, a cidade comemorou sua vitória sobre o exército de Valentim. Durante a celebração, a Rainha Seelie pediu a Clary um favor, mas ela recusou a rainha afirmando que já tinha tudo que queria.[7]

O Retorno de Sebastian

Jace estava tendo sonhos em que ele assassinava Clary apunhalando-a ou a sufocando, o que levou ao estresse entre os dois, levando Jace a evitá-la. Isso, claro, levou Clary a se preocupar com o que estava acontecendo entre eles. Clary e sua mãe também descobriram que alguém estava tentando fazer mais filhos como Jonathan, que novamente Jocelyn teve problemas para chegar a um acordo.

Clary então foi para a Igreja de Talto apenas para se encontrar lutando contra um demônio Hydra e depois foi ajudada por Isabelle. Jace e Clary tiveram um momento íntimo em uma das salas sobressalentes do Instituto. No momento de dar mais um passo em seu relacionamento, Jace feriu Clary com uma faca. Perdido por seus recentes pesadelos, Jace começou a chorar e admitiu que ele estava tendo pesadelos e essa era a razão pela qual ele estava evitando Clary. Clary então ofereceu-se para levá-lo para a Cidade do Silêncio para obter ajuda dos Irmãos do Silêncio. Lá, eles disseram que os pesadelos que Jace estava tendo eram devido à sua vulnerabilidade à influência demoníaca, que ocorreu depois que Jace foi ressuscitado pelo Anjo Raziel. Todos os Caçadores de Sombras são sujeitos a um ritual para protegê-los quando bebês. Quando Jace morreu, era como se ele tivesse renascido sem a proteção. Os Irmãos queriam fazer o ritual novamente para lhe dar a proteção executada. Clary queria ficar com Jace, mas os Irmãos do Silêncio disseram que ela seria uma distração. Jace disse a Clary que melhoraria por ela e Clary prometeu vê-lo muito cedo. Clary e Jace se despediram e Clary saiu para a noite.

Jocelyn e Luke, agora noivos, participaram de uma festa de noivado organizada pela matilha de lobisomens de Luke, no qual Simon desapareceu. Clary também desapareceu depois de ser sequestrada secretamente por Jace, que estava sob a influência de Lilith, o qual ninguém mais sabia ainda. Ele tinha mentido para Clary sobre deixar os Irmãos do Silêncio mais cedo. Jace contou a ela sobre uma runa que os para sempre. Clary aceitou e entregou-lhe a sua estela. Ele começou a desenhar uma runa, mas Clary descobriu tarde demais que esta não era a runa que ele contou sobre ela quando ela começou a perder a consciência com Jace pegando ela e levando-a. Jace levou Clary para Lilith e ela ordenou que ele a matasse se Simon não ressuscitasse Sebastian.

Clary enganou Jace dizendo que não queria assistir e ele a abraçou. Ela então agarrou a faca de Jace e cortou a runa que Lilith estava usando para possuí-lo em seu peito, fazendo com que Jace fosse libertado do controle de Lilith. Jace disse a Clary que fugisse e acreditava que ela havia feito, mas Lilith revelou que Clary ficou e começou a torturá-la com um chicote. Na terceira vez que ela foi bater em Clary, Simon matou Lilith jogando-se entre Lilith e Clary (Marca de Caim). Clary ficou gravemente ferida. Mais tarde, Alec deu sua estela a Jace para ajudar a curar as feridas de Clary.

Deixado sozinho no telhado, enquanto a Clave tomou nota do que aconteceu, Jace e Clary compartilharam um momento íntimo. Jace tinha vergonha de suas ações, apesar de literalmente não ter controle sobre si mesmo. Clary disse-lhe que ela o ama, não importa o que aconteça e os dois compartilharam um beijo. Ela então foi ao saguão para encontrar sua mãe, Luke, Simon, Maia, Alec, Magnus e Isabelle, prometendo voltar em cinco minutos. No entanto, ela não sabia que Jace não estaria lá quando ela voltasse, e então o ressuscitado Sebastian levou Jace com ele.[8]

Espionando Sebastian

Faziam duas semanas desde o incidente no telhado. Jace e Sebastian ainda estavam desaparecidos, e a Clave usou a Espada Mortal para tirar qualquer tipo de informação da Clary, mas sem sucesso. Depois de ter sido liberados de qualquer irregularidade, Clary, Alec, Isabelle e Simon foram até a Rainha Seelie para encontrar qualquer tipo de ajuda. Porara informações sobre Jace, a Rainha Seelie pediu dois anéis feéricos mantidos no Instituto de Nova York. Desesperada, Clary concordou com os termos e, ao procurar os anéis em uma biblioteca dos Caçadores de Sombras, observou acidentalmente Jace entrar na biblioteca e falar em termos amigáveis com Sebastian – o que confundiu Clary, que estava escondida durante a conversa. Depois que eles deixaram a biblioteca, Clary continuou a falar sobre o que aconteceu com os outros.

Naquela noite, Clary acordou para encontrar Jace deitado na cama com ela, pedindo que ela fosse com ele. Pouco depois disso, Sebastian entrou no quarto – que foi descoberto por Jocelyn, que gritou e alertou Luke. Pouco antes dos dois irem embora, Sebastian conseguiu esfaquear Luke com uma adaga de prata, mas eles prometeram voltar por Clary. Clary e sua mãe, Jocelyn, decidiram ficar no apartamento de Magnus e logo, Alec, Simon e Isabelle ficaram no apartamento também.

Ela finalmente decidiu se juntar aos dois homens como uma espiã enquanto usava os anéis das fadas para se comunicar com Simon. Durante o tempo gasto no esconderijo de Sebastian, Clary percebeu que Jace foi possuído por Sebastian, enquanto ele age mais como Sebastian do que como ele mesmo. Enquanto os meninos estavam ausentes, Clary teve a oportunidade de procurar o quarto de Sebastian, onde descobriu seu anel de fada perdido. Ela conseguiu alertar Simon da maioria do plano de Sebastian e disse-lhe para vir ao Sétimo Local Sagrado, mas foi pega no meio da conversa por Sebastian e foi forçada a destruir o anel feérico. Os dois então lutaram e Sebastian, sem sucesso, tentou estuprar Clary, que conseguiu escapar. Ela acabou indo para o Sétimo Local, onde Simon deu a espada de Raziel a Clary, que ela usou caçar Sebastian. Incapaz de alcançar Sebastian, Clary usou a lâmina do Anjo para esfaquear Jace, acreditando que não o mataria uma vez que seu coração era mais bom do que o mal. Jace foi incendiado, levando os outros a acreditar que ele estava morto. No entanto, seu coração ainda estava batendo e ele foi levado ao Instituto para ser curado pelo Irmão Zachariah.

Quando ela finalmente foi autorizada a visitar Jace, ela soube que apunhalá-lo com a Gloriosa o havia enchido com "fogo sagrado", que queimaria tudo o que ele tocava sempre que Jace conseguisse uma corrida de adrenalina.[9]

A Guerra Maligna

Durante as semanas que se seguiram à batalha contra Sebastian, o grupo viu que a Clave estava tentando ignorar a ameaça que Sebastian e seu exército de Crepusculares representavam.

Isabelle recebeu um apelo de sua mãe, instruindo ela e Alec a retornar ao Instituto; ela então convenceu Jace a ir ao apartamento de Magnus para falar com ele sobre Alec (quando os dois se separaram, e Alec estava bastante chateado com isso), enquanto Clary e Simon foram fazer compras de Natal. Enquanto faziam compras, Clary e Simon discutiram o estado do relacionamento de Simon com Isabelle, e ela incentivou Simon a tornar as coisas oficiais com ela. Os dois foram encontrados mais tarde por Jocelyn e Luke, que interromperam seu encontro de compras para informar Clary que eles receberam um apelo para uma reunião de emergência no Instituto, e ambos insistiram em que ela se juntasse a eles.

Uma vez em Idris, Clary, Jocelyn e Luke chegaram à casa antiga de Amatis, onde planejavam ficar enquanto estavam lá para negócios da Clave e Conselho. Esgotado, Clary abriu caminho para o quarto de reposição para guardar suas coisas. Ela decidiu olhar o baú de roupas antigas de Amatis, onde ela eventualmente se deparou com um vestido e casaco de luto branco, com runas de luto e garças (para homenagear a morte de Stephen Herondale) nos punhos. Jocelyn juntou-se a ela e encorajou Clary a usar o casaco de luto de Amatis para a reunião da Clave na manhã seguinte, como uma forma de mostrar solidariedade para todos os Nephilim, cujos membros da família foram mortos ou transformados nos ataques do Instituto. Ela acordou no meio da noite e levantou-se para beber um copo de água, apenas para parar no corredor quando ouviu as vozes sussurradas de Jocelyn e Luke. Ela escutou enquanto Jocelyn explicava a Luke que achou algo no armário, algo que ela não tinha visto desde que Valentim roubou todos os seus pertences. Jocelyn admitiu que ela acreditada que tinha sido destruído na explosão no velho apartamento de Valentim e, depois que Clary ouviu um pouco mais, ela finalmente percebeu que Jocelyn estava falando sobre a caixa com fotos de Sebastian, que ela tirava e chorava todos os anos em seu aniversário.

Clary encontrou-se com Jace antes do início da reunião, observando que Maryse e Robert Lightwood não eram vistos juntos. Ela informou Jace sobre o que ouviu, e Jace respondeu que achava que Sebastian deixou a caixa como uma mensagem para o Clave e para Jocelyn e Clary que até as barreiras não conseguiam mantê-lo fora.

Na reunião da Clave, Julian Blackthorn e Emma Carstairs foram interrogados duramente sobre o que viram durante um ataque ao Instituto de Los Angeles. Clary, sentindo-se mal pelo que Emma passou, correu de volta para poder conversar com ela. Emma rapidamente se se sentiu acolhida por ela, e Clary disse a ela que mesmo os heróis perdem as vezes, mas continuam lutando, porque é isso que os heróis devem fazer. Jace entrou no quarto e interrompeu a conversa deixando-as saber que a reunião terminou. Depois que ele saiu, Emma começou a falar sobre Jace, e exclamou que ele era o melhor Caçador de Sombras na história. Quando Clary respondeu que era sua amiga, Emma sorriu e corrigiu-a dizendo que Jace era seu "namorado", porque de acordo com Emma, todos sabiam que a namorada de Jace Lightwood era Clary Fairchild. Antes de Clary sair, ela prometeu a Emma que poderia falar com ela ou Jace sempre que precisasse, e se certificou de que sabia onde ficariam. Emma disse a Clary que se ela fosse a namorada de Jace, ela precisava de uma espada mais legal, o que fez Clary rir.

Em Alicante, Jace e Clary fizeram uma caminhada noturna pela cidade. Os dois finalmente acabaram em um beco, onde, apesar da hesitação de Jace, Clary conseguiu beijá-lo. Seus beijos se agravaram tão rapidamente que Jace perdeu o controle sobre o fogo celestial, o que o levou a queimar a mão na parede de tijolos em que ele estava apoiado. Ele ficou tão em pânico e temeroso que ele machucou Clary que ele rapidamente se afastou.

No dia seguinte, Jace e Clary foram à loja de Diana Wrayburn para procurar uma nova espada para Clary. Diana ofereceu uma espada curta para Clary de graça, que finalmente foi revelada como Heosphoros, uma das duas espadas Morgenstern feitas por Wayland, o Ferreiro. Ela insistiu que Clary não deveria deixar a espada ter poder sobre ela por causa de seu dono anterior e lhe disse para usá-la para matar seu irmão e recuperar a honra do nome de sua família.

Quando Clary abençoou Heosphoros na fonte do Salão dos Acordos, as torres demoníacas se acenderam para sinalizar uma batalha, e Jace com Clary correu para o Garde. Lá encontraram Robert Lightwood e Jia Penhallow enviando Caçadores de Sombras, alguns inexperientes e mal equipados, para lutar contra os Crepusculares na Citadela Adamant. Apesar de serem ordenados para que não, ambos escaparam pelo Portal para enfrentar Sebastian. Na batalha, Sebastian apunhalou Jace, e se afastou quando ele foi queimado por fogo celestial. As forças de Sebastian desapareceram no chão, e Clary correu para ajudar Jace. Clary marcou Jace com um iratze, que ela criou usando suas habilidades ao máximo. Foi poderoso o suficiente para curá-lo de alguma forma.

Mais tarde, eles descobriram que Sebastian havia tomado líderes dos Seres do Submundo como reféns: Raphael, Luke, Meliorn e Magnus, junto com Jocelyn. Ele exigiu Clary e Jace em troca, e a Clave recebeu dois dias para chegar a uma decisão. Secretamente, Clary, Jace, Alec, Isabelle e Simon viajaram para a outra dimensão, Edom.

CJ Jonathan & Clary 01, CoHF

Sebastian e Clary em Edom.

Uma vez na outra dimensão, Clary prendeu o fogo celestial em Heosphoros e o usou para matar Sebastian. Ela fingiu que queria unir-se com seu irmão e o apunhalou quando ela se aproximou. Para sair de Edom, eles tiveram que sacrificar a imortalidade de Simon e suas memórias do Mundo das Sombras e seus amigos. A Clave queimou o corpo de Sebastian ao pedido de Clary, e ela e Jace espalharam suas cinzas, que foram guardadas na sua caixa de prata (a que Jocelyn tinha), no Lago Lyn.

Em Nova York, Clary tentou se aproximar do Simon amnésico, mas ficou com o coração partido quando percebeu que Simon realmente não a reconhecia mais. Depois que ela saiu, Isabelle e Magnus perceberam que fragmentos de memórias de Simon se manifestavam de maneiras diferentes e, depois que Magnus lhe devolveu o que podia, levou-o ao casamento de Jocelyn e Luke e reuniu-o com Clary.[10]

Ascensão de Simon

Quando foi decidido que Simon iria para a Academia dos Caçadores de Sombras para tentar Ascender, Clary deu muito apoio. Ela continuou em contato com ele, trocando cartas com ele regularmente e o visitando ocasionalmente. Ela manteve distância para dar-lhe espaço e não o deixar desconfortável com suas memórias compartilhadas que seu melhor amigo ainda não tinha,[11] apesar de ele eventualmente preocupar-se com elas.[12]

Em 2009, Emma pediu a presença de Clary e Simon para seu ritual parabatai com Jules, como suas testemunhas. Um dia antes da cerimônia, Magnus, Catarina e Jem fizeram um teste com o par para confirmar que eles de fato eram "verdadeiros parabatai" – significando que estavam ligados mesmo antes de qualquer ritual poder ser realizado entre eles. Foi-lhes dito que ainda era possível que se tornassem parabatai.[13]

Junto com muitos de seus amigos, Clary estava presente quando Simon bebeu do Cálice Mortal, e, por meio de uma Ascensão bem-sucedida, tornou-se um Caçador de Sombras.[14]

Paz Fria

Por volta de 2010, na tenra idade de 19 anos, Jace e ela foram votados pelo Conclave como novos líderes do Instituto de Nova York, após Maryse renunciar, e eles aceitaram, tornando-os uns dos mais Caçadores de Sombras mais novos a ocupar o cargo. Além disso, ela e Jace juntaram a aliança de Alec com Maia e Lily. Ela conseguiu convencer os outros a colocar um computador na sala de estratégia, que se tornou o local de reunião do grupo.[15]

O poder de Clary com runas tornou-se valioso entre os Caçadores de Sombras, ao ponto de algumas das runas que ocorreram a ela terem sido aceitas pela Clave como novas adições para o Livro Gray, tendo se tornado de uso popular, tais como a de respirar embaixo da água e a de controle de natalidade.[16]

Na festa de noivado que ela planejou para Simon e Isabelle em 2012, Jace pediu Clary em noivado. Antes que pudesse responder, o alarme tocou e Clary se transportou para o Instituto de Los Angeles com Magnus, Robert e Jace para ver o que havia de errado.[16][15]

Personalidade e Traços

Clary é inacreditavelmente teimosa e sarcástica, traços nascidos da superproteção de sua mãe. Ela também é uma pessoa muito amorosa e misericordiosa. Por seus amigos e família, Clary está disposta a ir ao extremo, às vezes imprudentemente, colocando-se em perigo, consequentemente deixando as pessoas que se preocupam com ela extremamente preocupadas e exasperadas. Jace até mesmo declarou que a teimosia dela combinava com a dele, o que ele imagina que foi o motivo pelo qual os dois não conseguiam suportar um ao outro quando pela primeira vez se conheceram.

Ela também é uma artista como sua mãe, Jocelyn. Ela mantém um caderno de desenho de papel onde frequentemente expressa suas emoções e pensamentos através das imagens, sua versão de um diário, apenas usando imagens em vez de palavras.

Descrição Física

Ela frequentemente é descrita como sendo exatamente igual a Jocelyn - com seus olhos verdes, cabelo ruivo cacheado, figura esguia, peito pequeno e quadris estreitos - apesar de não ver isso, assim como não vê a beleza que os outros frequentemente veem nela. Houve um tempo em que Clary sentia-se uma versão menor, menos bonita e mais infantil de sua mãe, apesar de a maior parte das pessoas discordar. Ela é bem pequena, um pouco acima de 1,50m, tem cabelos que considera da cor de cenoura, e "uma cara cheia de sardas".

É mencionado algumas vezes que ela se veste de maneira masculina e fora de moda, usando camisetas, jeans e tênis, o que algumas vezes irrita Isabelle, que então escolhe roupas mais legais para que ela use. Através da influência de Isabelle, ela lentamente abandonou seu estilo masculino e começou a esforçar-se mais frequentemente para se arrumar. Ela é descrita por alguns garotos como fofa ou bonita, apesar do que pessoalmente pensa de si mesma. Jace (como visto no material bônus em seu ponto de vista) também a acha bonita, bem como feroz, e diz que Clary, ao contrário das outras garotas, apenas não sabe disso.

Habilidades

  • Fisiologia Nephilim: Sendo uma Nephilim, Clary possui uma variedade de habilidades físicas e mentais avançadas garantidas para ela pelo sangue de Raziel em suas veias e também as marcas angélicas do Livro Gray. Isso inclui força avançada, agilidade, resistência, coordenação, e muitas outras que podem ser melhoradas com tempo e prática.
  • Magia Rúnica: Devido ao sangue de Raziel em suas veias, todos os Caçadores de Sombras são capazes de desenhar runas em sua pele sem nenhum perigo real. Essas marcas, por sua vez, geram efeitos variados e servem para beneficiar àqueles que as usam.
  • Poder do Sangue Angelical: Apesar de todos os Caçadores de Sombras terem em si o sangue de Raziel, Clary tem mais; particularmente, ela recebeu o sangue de Ithuriel no útero de sua mãe graças aos experimentos de Valentim. Por causa disso, ela se tornou parcialmente ligada a Ithuriel, que, quando a necessidade surgia, enviava-lhe sonhos proféticos e visões do futuro, bem como imagens de runas há muito esquecidas, ou runas que não estavam no Livro Gray e conhecidas apenas pelos Anjos, as quais ela é capaz de recriar e usar. Ela também consegue aumentar a potência das runas comuns, fazendo-as mais poderosas do que o normal.
  • Visão: Como Caçadora de Sombras, Clary é capaz de ver facilmente através da maior parte das ilusões mágicas e glamour sobre a realidade.
  • Uso de armas celestiais: Como Nephilim, Clary também é capaz de manusear armas celestiais com efeitos, já que isso normalmente não funcionaria para outras espécies. Em particular, essas armas são feitas de adamas e forjadas pelas Irmãs de Ferro, tais como as Lâminas Serafim.
  • Arte: Clary é uma artista particularmente dotada e talentosa.

Posses

Codex Faerie Bell

O sino da rainha, que Clary temporariamente possuiu em 2007.

  • Heosphoros: uma espada Morgenstern com um padrão de estrelas negras que descem cume adentro. Forjada por Wayland, o Ferreiro, é uma espada curta e parte de um conjunto combinado, a outra sendo Phaesphoros.
  • Anel da Família Morgenstern: Clary possui o Anel da Família Morgenstern, dado a ela por Jace quando ele foi atrás de Sebastian Verlac. Ela geralmente o usava em uma corrente de prata como um medalhão.
  • Sino da Rainha: Clary certa vez recebeu um sino de prata da Rainha de Seelie, o qual ela usava ao redor do pescoço, até que precisou usá-lo para invocar a Corte de Seelie.
  • Um Anel Feérico: Após roubar um par de anéis das fadas, Clary manteve um e deu o outro a Simon para que pudessem se comunicar um com o outro telepaticamente. Seu anel foi destruído; o de Simon permaneceu intacto, mas perdeu a magia que o fazia funcionar. Simon deu seu anel a ela logo antes de se sacrificar em Edom.

Relações

Interesses Amorosos

X Tarot 6

Jace é o amor da vida de Clary.

Eles se encontraram pela primeira vez no Clube Pandemônio. Inicialmente, pareciam achar a presença do outro um incômodo, embora fossem atraídos. Em seus meses juntos, entretanto, eles inevitavelmente se apaixonaram. Os dois se beijaram pela primeira vez na estufa do Instituto.

Muitas dificuldades e conflitos surgiram e complicaram sua relação. Pouco depois de seu primeiro beijo, foram enganados pelo pai de Clary para pensarem que eram irmãos. Apesar disso, foi difícil para eles negarem seus sentimentos um pelo outro. Eles até mesmo voltaram a se beijar em mais de uma ocasião, ainda sob a impressão de que eram irmãos. Jace começou a manter-se distante, e tentou dirigir sua atenção a outra garota, entretanto, já que tinha medo de suas emoções "incestuosas", e Clary até mesmo passou a sair com Simon em seus esforços para se afastarem um do outro. Eles começaram a brigar muito e a se culparem pelos problemas que tinham. Mesmo antes de descobrirem a verdade, houve vezes em que decidiram ficar junto ao outro como "mais do que irmãos".

Uma vez libertos das mentiras que os haviam separado, começaram a namorar oficialmente e até foram felizes por algum tempo-até que Lilith começasse a controlar Jace, enviando-lhe sonhos em que matava Clary. Temendo que pudesse machucá-la na vida real, Jace fechou-se novamente. Quando Clary descobriu que ele estava ligado a Sebastian, ela arquitetou um plano e uniu-se a Sebastian e ele em seu desespero para salvá-lo; enquanto espionava-os para descobrir os planos de seu irmão, seus amigos em Nova York procuravam uma maneira de separar Jace de Sebastian. Suas viagens juntos deram a Jace e ela tempo para ficarem juntos, durante o qual os dois tentaram dormir juntos em duas ocasiões separadas. Eventualmente, a ligação foi quebrada, e Jace e Clary ficaram livres para ficarem juntos novamente.

A liberdade de Jace veio com um preço já que permaneceu injetado de Fogo Celestial por semanas, separando-os porque ele temia feri-la, apesar de existirem ocasiões em que não conseguiam controlar suas emoções e tiveram momentos íntimos. Após o fogo de Jace ser contido em Heosphoros em Edom, o casal finalmente consumou sua relação.

No casamento de Luke e Jocelyn, meses após a Guerra Maligna, eles finalmente encontraram a paz juntos. Alguns anos depois, o casal começou a dirigir o Instituto de Nova York juntos. Em 2012, Jace propôs a Clary, que parecia cética em dar sua resposta e ainda não teve a chance de dizer a ele.

Amigos

Tarot Steles 5
Você teve Simon. Ele foi seu irmão de todas as maneiras que importam. Ele viu você crescer, te defendeu, lutou com você e por você, se preocupou com você por toda a sua vida. Ele foi o irmão que você escolheu.

–Jace para Clary, Cidade do Fogo Celestial

Simon é o melhor amigo de infância de Clary. Melhores amigos desde os seis anos de idade, enquanto Clary via Simon como um bom amigo e irmão, ele desenvolveu sentimentos amorosos por ela que nunca foi capaz de admitir até dez anos depois, induzido por ela ter desenvolvido um romance com Jace.

Eles saíram juntos brevemente após o fim de Jace e Clary. Eventualmente, ele aprendeu a aceitar que Clary não se sentia da mesma forma, e seguiu em frente. Eles permaneceram melhores amigos e continuaram a se importar um com o outro.

Isabelle Lightwood inicialmente desgostava intensamente de Clary, porque ela sentia que a garota havia atrapalhado a dinâmica entre o trio original, Alec, Jace e Izzy. Gradualmente, sua relação melhorou enquanto afastaram suas diferenças e escolheram formar uma espécie de amizade e camaradagem. Elas eventualmente tornaram-se boas amigas, estavam ali uma pela outra e se abriram uma com a outra em diversas ocasiões.

Alec Lightwood costumava ser hostil para com Clary. Ele não ligava muito para sua personalidade e focava principalmente em quão fixado nela Jace parecia estar. Ele alegou pensar que Clary pudesse estar afetando Jace de uma forma negativa, mas ela viu através disso e percebeu que na verdade ele estava com inveja, porque estava apaixonado por Jace. Sua atitude em relação a ela piorou quando Clary decidiu revidar.

As coisas começaram a melhorar quando todo mundo, brevemente, acreditou que Clary e Jace fossem irmãos. Mesmo após isso se revelar falso, Clary e Alec já eram amigos porque ele havia superado Jace. Sem a necessidade de reconhecer sua discussão, os dois colocaram o passado para trás e se tornaram bons amigos e aliados.

Embora Clary não tenha se lembrado disso, Magnus esteve na vida dela desde que era criança e praticamente a viu crescer. Quando eles se conheceram oficialmente novamente depois que Clary tomou consciência de sua identidade, eles se tornaram aliados e gradualmente se tornaram amigos preocupados com o bem-estar um do outro.

Família

Clary tem uma relação geralmente boa e próxima com sua mãe, Jocelyn. Apesar das brigas ocasionais, elas amam uma à outra.

Por cerca de uma década, Jocelyn manteve Clary longe do Mundo das Sombras, esperando protegê-la. Entretanto, quando ela foi inesperadamente levada por Valentim, Clary foi involuntariamente inserida no mundo dos Caçadores de Sombras, um perigo necessário para o esforço desesperado para achá-la e salvá-la. Clary fez tudo a seu alcance para resgatar Jocelyn e quando isso finalmente aconteceu, ela a visitava no hospital e falava com ela todos os dias, e foi em grandes distâncias para salvá-la.

Conforme Clary se tornou mais imersa no Mundo das Sombras, no entanto, ela começou a se sentir cada vez mais afastada de sua mãe, pois ficou claro que a Jocelyn que todos se lembravam não era nada como a Jocelyn que ela conhecia como sua mãe, mais ainda quando ela descobriu sobre Jocelyn mantendo toda a sua vida e identidade um segredo dela. No entanto, Clary continuou a lutar com veemência para encontrar sua mãe, recusando-se a acreditar que ela está morta. Sua raiva sobre isso foi colocada em um segundo plano, no entanto, conforme ela continuou a procurar uma cura – até que Jocelyn foi despertada e elas se reuniram em Alicante. Clary lançou sua raiva reprimida em relação a sua mãe por mentir para ela e mantê-la no escuro sobre seu verdadeiro ser e habilidades por anos, embora elas rapidamente resolveram suas diferenças corrigindo seu relacionamento.

Apesar de sua proximidade e da aprovação de sua mãe para finalmente deixá-la treinar para se tornar uma Caçadora de Sombras, ela e sua mãe ainda estão ocasionalmente em desacordo. Muitas vezes, debatem sobre o que elas acham melhor para Clary, com Clary muitas vezes querendo tornar sua independência um ponto – o que é típico da maioria das relações mãe-e-filha.

Apesar de ele ser seu pai biológico, Clary não sente nenhuma simpatia ou amor paternal por Valentim. Ela escolheu não acreditar em nada que ele dissesse, sabendo que Valentim era um bom mentiroso com nada mais do que intenções maldosas. Ela até mesmo, até certo ponto, recusou-se a reconhecê-lo como pai, frequentemente se referindo a ele pelo nome e irritando-o quando fazia isso.

Porque também não sabia sobre ela, ele também se importava pouco com a filha e estava até mesmo disposto a matar Clary para conseguir sua vitória, provando que ela não significava nada para ele; ele a via como a razão pela qual Jocelyn o deixou durante a Ascensão. Clary observou que a única vez que ele realmente a olhava era o instante antes de sua morte na Guerra Mortal.

Após sua morte, ela tentou esquecê-lo, mas era constantemente lembrada dele; ela também é visivelmente afetada quando as pessoas aludem sobre ele e sua conexão.

Tarot Rings 7

O primeiro encontro de Clary com seu irmão ocorreu enquanto ele estava atuando como Sebastian Verlac durante sua primeira ida a Idris. Ela imediatamente viu a semelhança entre ele e o príncipe sombrio com história trágica de seus sonhos.[7] Embora ela desconhecesse sua relação com ele, Sebastian estava completamente consciente, mas ainda assim continuou a se comportar como se não fossem relacionados, e até mesmo a beijou.

Nos meses seguintes à Guerra Mortal e sua morte, Clary tentou esquecer sobre Valentim e ele. Quando Lilith começou o processo para ressuscitar Sebastian, ela, junto a Jace e Simon, fez o que pode para evitar que funcionasse. Quando Jace desapareceu com o cadáver de Sebastian, Clary começou a odiá-lo mais por levá-lo embora.[8]

Clary se uniu a Jonathan e Jace quando os dois garotos ficaram ligados um ao outro. Durante esse período, em que conheceu mais sobre o irmão, seus motivos e sua linhagem, ela se questionou sobre sua opinião acerca dele, até que Jace a informou sobre o plano de Sebastian de criar caçadores de sombras Crepusculares como ele através do Cálice Infernal.

Apesar de estar plenamente consciente de que Clary e ele eram parentes, Jonathan informou-lhe que queria tê-la para si de todas as maneiras, dizendo que estavam destinados um ao outro, já que eram os últimos Morgenstern. Ele queria queimar o mundo e controlar outro com ela a seu lado. Sem ter nenhuma percepção do que o amor verdadeiro realmente era, ele desesperadamente impôs sua concepção adulterada dele sobre Clary e Jace.

Clary teria matado o irmão em várias ocasiões, se não fosse sua conexão com Jace, até que teve sua chance de fazê-lo e o fez. Quando a maldade foi removida de seu corpo, o Jonathan real, sem influência demoníaca, emergiu, e, em seus momentos antes da morte, desculpou-se com Clary por sua maldade como Sebastian, e fez o que pode para salvá-los.

Clary tinha cinco anos quando conheceu Luke. Ela se deu bem rapidamente com ele, que continuou a se preocupar com ela e criá-la, junto com Jocelyn. Eventualmente, ela passou a amá-lo como pai e o chamava de tio até ter 15 anos. Não apenas foi Luke o único pai a vê-la crescer, como ela também o via mais como seu pai verdadeiro do que Valentim jamais poderia ser — e isso é algo que ela já declarou em voz alta; apesar de Valentim ser seu pai biológico, Luke foi quem atuou como pai para ela durante toda a sua vida, que tomou conta dela e desempenhou um grande papel em sua criação. Quando ele propôs casamento a Jocelyn, Clary apoiou o casal, e, quando finalmente se casaram, Luke se tornou seu padrasto.

Aparições

Galeria

Veja mais aqui

Etimologia

Clarissa é considerado um nome inglês, italiano e português. É derivado do nome alemão Clarice, que, por sua vez, veio de uma forma medieval de Claritia, derivado de Clara. Clara é a forma feminina do antigo nome latim Clarus. Significa "clara, brilhante e famosa".[17]

Clary, seu apelido, é tipicamente um diminutivo de Clara. O nome em si pode derivar de uma planta homônima, salvia sclarea, notando-se que em Latim o nome sclarea deriva do adjetivo clarus, que significa claro. A planta também é chamada de "Olho claro" (pelo motivo de as sementes terem sido usadas para limpar a visão) e "see bright". Enquanto um nome sueco, foi primeiramente introduzido como um sobrenome pela rainha sueca do século XIX Desideria, que nasceu Desirée Clary. O nome era muito popular na suécia na primeira metade do século XX.[18]

Fray é o sobrenome que Jocelyn escolheu para ela e Clary como uma mistura de Fairchild e Gray, os quais ela escolheu pela relação com os Fairchild, sua "família perdida", e Tessa Gray.[19] No entanto, Fray tem uma história notável como sobrenome, mais associado a raízes inglesas.[20][21]

Clary foi, originalmente, nomeada em homenagem a duas amigas de Cassandra: Valerie Frayre, a artista que criou o design das runas, o qual ela mais tarde mudou para Valerie Frayne. Então, quando uma de suas amigas também estava escrevendo um livro com uma heroína chamada Valerie, ela mudou para Clary, outra amiga pessoal. Seu editor mais tarde decidiu finalmente nomeá-la Clary Fray. Cassandra, então, decidiu fazer de Clary um apelido para Clarice, mais tarde modificado para seu nome atual, Clarissa.[22]

Curiosidades

  • Se Valentim soubesse dela e pudesse ter opinado, ela teria sido nomeada como Seraphina, por causa de sua mãe.[9]
  • Clary corta o próprio cabelo.[23]
  • Clary agora adota o sobrenome de solteira de sua mãe, Fairchild[24][25]
  • Clary, como os Herondale e Jocelyn, tem uma cicatriz branca em formato de estrela; a de Clary está em seu ombro. Todos eles as receberam por seu contato com o anjo Ithuriel. Ao contrário do restante deles, Clary recebeu a sua porque nasceu com o sangue de anjo em suas veias através dos experimentos de Valentim.

Referências

Família Fairchild
Adele Nightshade † | Aloysius Fairchild † | Callida Fairchild | Charles Fairchild | Charlotte Branwell | Clary Fairchild | Granville Fairchild † | Granville Fairchild II † | Henry Branwell | Jocelyn Fray | Matthew Fairchild | Roderick Fairchild | Sebastian Morgenstern † | Valentim Morgenstern † | Valentina Graymark
Família Morgenstern
Amalia Morgenstern † | Clary Fairchild | Jocelyn Fray | Pai do Valentim † | Roderick Morgenstern | Sebastian Morgenstern † | Seraphina Morgenstern † | Valentim Morgenstern
Esta página utiliza conteúdo de um artigo da The Shadowhunters Wiki.
A lista de autores pode ser vista no histórico da página.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória