FANDOM



Anjos não são apenas mensageiros. Eles são soldados.

Magnus Bane para Simon Lewis, Cidade das Almas Perdidas

Anjos são seres alados que servem de mensageiros de Deus, guardiões da sua criação e soldados na eterna batalha Dele contra os demônios do Inferno.

No Mundo das Sombras, o Anjo Raziel, um anjo de alto escalão, é o ser de quem os Nephilim descendem. Depois que um feiticeiro invocou o anjo, o seu sangue foi misturado ao de Jonathan no Cálice Mortal e dado aos humanos para beber, que, por sua vez, viraram os primeiros Nephilim.

Descrição e habilidades

Entre Caçadores de Sombras e Seres do Submundo, pouco se sabe sobre anjos e muito se especula; poucos que sabem falar sobre eles sabiamente vivem para contar. Os Nephilim os veem como grandes generais ausentes em seu exército, tendo os deixado mil anos atrás com sua missão celeste, ordens básicas e magia o suficiente para lutarem por si mesmos. O sangue do Anjo Raziel corre pelas veias de todo Nephilim, fluindo através das propriedades transformadoras do Cálice Mortal. Anjos podem ser patronos ausentes, mas os Nephilim os consideram como seus parentes espirituais, e os reconhecem através de suas orações, em suas invocações e nos nomes da maioria de suas armas sagradas.

O consenso geral é de que a forma dos anjos é moldada como humana, mas é muito maior, com asas e com o brilho do fogo celestial; no entanto, muitos autores sugerem que quando os anjos se manifestam na Terra, eles terão qualquer forma reconhecida como angelical pelas testemunhas. Como seres imortais de espirito puro, anjos precisam criar uma forma corpórea para existir na Terra. Até agora, eles tem sido descridos como seres brilhantes de grande estatura; belos, etéreos, nus e falantes de uma língua de outro mundo.

Eles possuem força sobre-humana superior a de qualquer Membro do Submundo, Nephilim e muito menos demônio, suficiente para lançar hordas inteiras de demônios para o espaço da superfície da Terra. Anjos de alto escalão, como Raziel, são supostamente fortes o suficiente para derrotar os maiores dos Demônios Maiores, como os Príncipes do Inferno. Supostamente, os anjos possuem as habilidades providas por runas nos Caçadores de Sombras, mas com níveis muito altos. Para anjos, assim como para fadas e feiticeiros antigos, o tempo voa ou é passado despercebido a eles como para os humanos.[1]

Anjos Caídos

Anjos Caídos são anjos que foram expulsos do Céu por sua rebeldia. Geralmente acredita-se que a maioria dos anjos caídos são aqueles que ficaram ao lado de Lúcifer quando ele entrou em guerra com Deus. Depois que eles foram jogados no Inferno e no Vazio, eles tomaram uma forma corpórea monstruosa que mais tarde se tornou conhecida como Demônios Maiores, liderados pelos Príncipes do Inferno. Esses agora anjos caídos demoníacos criaram demônios menores e mais comuns assim como a força caótica e etérea que os anima e os dá poderes.

Fadas são, de acordo com a lenda, anjos caídos do Céu por conta de seu orgulho. Outra lenda diz que fadas são descendentes de anjos e demônios.[1][2]

Invocando

É considerado imprudente tentar invocar um anjo por inúmeras razões.

Invocar um anjo é considerado por muitos algo fútil e perda de tempo, já que anjos não respondem a invocações do mesmo jeito que demônios. Eles não conseguem manter sua forma corpórea na Terra por muito tempo, não mais do que criaturas não demoníacas conseguem fazer ao estarem em uma dimensão que não seja a sua. Além disso, os rituais que reivindicam serem capazes de invocar anjos são obscuros, difíceis e não confiáveis; eles foram realizados tão raramente que não há evidencias do que funciona ou não.

Junto a esses fatores, os perigos e riscos de desastres, ferimentos ou mortes por um mau entendido ou ritual mau aplicado são bem altos. É até proibido a alguns anjos serem invocados a menos que seja do modo correto e no tempo certo, como Raziel, que pode ser invocado, não comumente, com os Instrumentos Mortais- quando tentado sem as ferramentas, Raziel ficou furioso e ameaçou explodir Simon Lewis, o invocador, do mundo e apenas não o fez porque ele tinha a Marca de Caim que serviu para sua proteção, poderosa o suficiente para resistir a ira de Raziel.

Mesmo que a invocação for bem sucedida, não há atualmente nenhuma maneira conhecida de obrigar um anjo a cooperar com os desejos ou necessidades do invocador. Um anjo não pode ser ligado da mesma forma que um demônio é ligado, exceto pela aplicação de rituais proibidos e blasfemos, tais como o círculo de marcas que Valentim usou para prender Ithuriel e com que tentou tentou compelir Raziel, uma ação das quais estão entre as piores violações da Lei que um Caçador de Sombras poderia cometer.[1]

Finalmente, se a invocação for bem sucedida, o invocador e seus (as) ajudantes correm risco de morte rapidamente pelas mãos do anjo invocado porque, diferente dos demônios, anjos não querem estar na Terra; eles não gostam de se manifestar na forma corpórea, nem de ajudar humanos e eles não são conhecidos por sua misericórdia. Eles são completamente indiferentes a viagens ao mundo mortal. Eles não são apenas meros mensageiros ou guardiões, eles são os soldados do exército de Deus e emissários de sua ira e vingança. Eles não são pacientes ou tolerantes aos vícios humanos.[2]

Fraquezas

Apesar de sua aparência intimidante, alguns anjos não são “todo-poderosos” e podem ser derrotados. John Shade e Valentim Morgenstern foram capazes de invocar o anjo Ithuriel, o primeiro conseguiu colocar um pedaço do anjo em um dispositivo e o segundo foi capaz de aprisiona-lo em um círculo de Marcas. Além disso, lâminas serafim são, de alguma forma, mortais aos anjos, como demonstrado quando Ithuriel usou a lâmina de Jace para cometer suicídio.[1] Também, quando anjos fazem promessas, estão presos a elas e suas condições, o que significa que eles não tem permissão para quebrá-las.[3]

História

Além do fato de terem sido criados por Deus, sua história primordial permanece desconhecida. É sabido que eles são tão velhos, se não mais, do que a própria Terra. Muito foi feito em seus nomes, tanto bom quanto mal, mesmo que seja possível contar as manifestações confirmadas de anjos na Terra com uma mão.[2]

A Invocação de Raziel

Em algum momento de 1000 a.C, inúmeros demônios invadiram a Terra. Em algum ponto, os mortais Jonathan, Abigail e David lutaram com demônios do melhor jeito possível até serem derrotados. Levado a um lago para se afogar, Jonathan usou o último pequeno suspiro que tinha para pedir uma benção para o lago, para santificar o lugar para que coisas obscuras, como demônios, não fossem bem-vindas. Ele rezou e suas preces foram atendidas.[2]

Raziel se elevou do Lago Lyn, trazendo consigo os Instrumentos Mortais. Jonathan pediu a ele que salvasse seus companheiros. Se apresentando como um anjo de Deus, Raziel atendeu seus pedidos e retirou os três do lago e os levou em suas costas acima dos demônios remanescentes. Vendo que as intenções de Jonathan eram boas e verdadeiras, Raziel deu a ele os Instrumentos Mortais para que pudesse começar a raça dos Nephilim.

Farsa do Anjo de 1832

Em 1832, um fazendeiro e Caçador de Sombras da Prússia, Johannes von Mainz, chamou toda a Clave para a sua fazenda para testemunhar o "anjo" que tinha invocado para o seu celeiro de vacas. Admiração rapidamente se transdormou em desgosto quando alguns dos vizinhos reconheceram o "anjo" como o filho de Johannes, Hans, coberto de folhas de ouro e gritando pronunciamentos em uma mistura vulgar do latim, alemão, e o que parecia ser uma língua absurda da própria invenção de Hans. As "asas de anjo" acaboram por ser uma mistura de penas de ganso, pato e galinha coladas ao acaso a uma moldura de madeira. Johannes retirou-se para sua fazenda humilhado, e Hans já não era mais capaz de ir à cidade sem receber vaias e ser bombardeados com penas. Desde então, a maioria dos Caçadores de Sombras têm sido muito cautelosos em qualquer tomada ou em verificações de alegações de aparições do anjo.[2]


Anjos conhecidos

É pedido aos Caçadores de Sombras que conheçam os nomes dos anjos. Uma das razões é que eles são descendentes de seu sangue, então aprendem seus nomes por respeito. Além disso, eles nomeiam suas lâminas serafim em sua homenagem, e acredita-se que as lâminas serafim são fundidas não apenas com o fogo celestial genérico do adamas, mas também com alguma parte do espírito do anjo nomeado. Nephilins raramente nomeiam suas lâminas serafim como os anjos mais famosos e poderosos, temendo que essa quantidade de poder angelical possa superar e destruir o poder de tal arma. Eles também nunca nomeiam suas armas com o nome de Raziel, temendo sua ira.

Abaixo segue-se uma lista básica dos anjos conhecidos pelos Caçadores de Sombras, todos os quais são usados para nomear lâminas serafins.[2]

  • Abrariel
  • Adriel
  • Amriel/Ambriel
  • Anael
  • Arariel
  • Ariel
  • Asmodei
  • Atheed
  • Barachiel
  • Camael
  • Cassiel
  • Dumah
  • Eremiel
  • Gabriel
  • Gadreel
  • Gagiel
  • Hadraniel
  • Haniel
  • Harahel
  • Harut
  • Israfel/Israfiel
  • Ithuriel
  • Jahoel
  • Jegudiel
  • Jehuel
  • Jerahmeel
  • Jophiel
  • Khamael
  • Lailah
  • Malik
  • Marut
  • Metatron
  • Miguel
  • Moroni
  • Munkar
  • Muriel
  • Nakir
  • Nuriel
  • Pahaliah
  • Penemue
  • Peniel
  • Puriel
  • Raguel
  • Raphael
  • Raqeeb
  • Raziel
  • Remiel
  • Ridwan
  • Sachiel
  • Samandriel/Samandiriel
  • Sandalphon/Sandolphon
  • Sansanvi
  • Sanvi
  • Saraqael
  • Sealtiel
  • Semangelaf
  • Shamsiel
  • Taharial
  • Telantes
  • Uriel
  • Yahoel
  • Zadkiel
  • Zaphkiel

Referências


Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.